Ateus americanos querem calar as igrejas através da Receita Federal

imagesA próxima vez que um pastor nos Estados Unidos fizer um sermão pró-vida ou exortar a congregação a  levantar-se para valores pró-vida na arena política ou pública, ele poderá ser levado para a dar explicações pelo IRS (órgão equivalente à Receita Federal no Brasil).

NOTA: É uma tentativa maligna de calar a igreja. Como não conseguem silenciar a voz dos fiéis que proclamam o nome do Senhor. Mas saibam porém, que a igreja fiel será sustentada até que se cumpra seu tempo na terra. Não importa a lei ou opressão que sobrevenha, Jesus está do nosso lado. “Disse o Senhor, em visão, a Paulo: Não temas, mas fala e não te cales” (Atos 18.9).

A Aliança Liberdade de Defesa  pediu ao IRS a liberação de todos os documentos relacionados com a sua recente decisão de acabar com um processo com um grupo ateu que diz a Receita Federal tem adotado novos protocolos e procedimentos para a investigação de igrejas. A ADF apresentou o pedido depois de saber do acordo do IRS com Freedom From Religion Foundation (FFRF – ateus) em um comunicado de imprensa do grupo emitido em 17 de Julho sobre o seu processo Freedom From Religion Foundation x Koskinen , que acusou a agência de não investigar as igrejas da forma o grupo ateu gostaria.

“O sigilo gera desconfiança, e a Receita Federal deve saber isso à luz de seus escândalos recentes envolvendo a investigação de grupos conservadores”, disse ADF a advogada Christiana Holcomb. “Estamos pedindo o IRS para divulgar os novos protocolos e procedimentos aparentemente adotados para determinar como se vai investigar igrejas. O que pretende fazer para as igrejas devem ser trazidos para a luz do dia. “

A Receita Federal afirma que está a reter temporariamente investigações de todas as entidades isentas de impostos por causa da investigação do Congresso de seus escândalos recentes, mas ninguém sabe quando ele vai decidir reiniciar as investigações com base em quaisquer regras novas ou modificadas que ele desenvolve.

De acordo com a Freedom From Religion Foundation em comunicado de imprensa, “O IRS já resolveu o problema necessário e já tem assinatura para iniciar “exames” das igrejas. A Receita Federal também adotou procedimentos para rever, avaliar e determinar se deve iniciar investigações da igreja. “

O comunicado menciona anual da ADF ” Púlpito Liberdade Dominical”como aquele que promove a atividade por igrejas que viole a Emenda Johnson, uma lei federal que grupos ativistas costumam citar em uma tentativa de silenciar as igrejas, ameaçando seu status de isenção fiscal. A Emenda Johnson autoriza a Receita Federal para regulamentar sermões e requerendo que igrejas desistam de sua proteção constitucional a liberdade de expressão, a fim de manter o seu estatuto de isenção fiscal.

“A Receita Federal não pode forçar as igrejas a desistir de suas preciosas liberdades constitucionalmente protegidas para receber uma isenção fiscal”, explicou ADF Senior Legal Counsel Erik Stanley, que dirige o evento Púlpito Liberdade Dominical. “Ninguém sugeriria um pastor desistir do status de isenção fiscal de sua igreja, se ele quer manter sua proteção constitucional contra a busca e apreensão ilegal ou punição cruel e incomum. Da mesma forma, ninguém deve ser pedindo-lhe para fazer o mesmo para ser capaz de manter sua protegido constitucionalmente a liberdade de expressão. ” O Evento Púlpito Liberdade de Domingo deste ano será realizada no dia 5 de outubro.

Diz o insensato no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e praticam abominação; já não há quem faça o bem.” Salmos 14:1 

Fonte: News Life

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s