O valor do louvor da última igreja

louvor-adora-a-deus“O Senhor diz: “Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam só é feita de regras ensinadas por homens.” Isaías 29:13
Existe um vazio incompreendido e inexplicável dentro do ser humano, que não se pode entender por meios medicinais, científicos, psicológicos, filosóficos e racionais. Uma parte humana onde é insubstituível, um local exclusivo, separado ao nosso Criador.
Ainda que tantos neguem, e não querem reconhecer; eles não sabem explicar, nem medir esse profundo vazio. Em Genesis 1:1-2, nos diz: “No princípio criou Deus o céu e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.” No hebraico original a palavra criar derivou-se do “Berashith” que vem do anelo do coração de Deus a adoração de todas as suas criaturas, e conseqüentemente o desejo da alma do ser humano em oferecer “sacrifícios de louvor” ao nosso Criador.
Por isso que o rei David expressa: ”A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?” Salmos 42:2… Da mesma forma o anseio de Deus é expresso: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” João 4:23. Disso o próprio Deus dá testemunho de Davi: “… Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade.” Atos 13:22.
Desta forma estamos ligados diretamente ao Pai, pois fomos criados segundo a sua imagem e semelhança. O nosso coração inexplicavelmente faz comunhão com o coração de Deus, quando o nosso propósito de oferecer um louvor ao nosso Rei, transcende as nossas próprias razões para oferecer uma oferta aceitável ao nosso Criador. Mas esta oferta, só pode ser aceita quando está em acordo com o que é Eterno, onde o centro da adoração é somente o Pai, o Filho, o Espírito Santo e o reino celeste.
É aceitável, por que deve partir do próprio trono de Deus (de acordo com Suas vontades) e não de acordo com o nosso limitado entendimento.
Deus não se adapta com tendências mundanas, pois a forma de adoração a Ele é eterna e santa. Não segue ritmos modernos e manifestações carnais ou modas ditadas pelo mercado gospel.
Não se limita a desejos profanos ou antropólogos, onde o centro da adoração é o ser humano e as suas necessidades e vontades próprias. O louvor que será entoado na Jerusalém Celeste será aquele que exalta a justiça, o juízo e o governo de Deus. Está ligado à santidade e a honra merecida ao Cordeiro.
Este louvor já foi escrito desde a fundação do mundo e revelado a Moisés, servo de Deus.
Este é o verdadeiro louvor que um dia iremos entoar nos pátios do palácio do Deus Pai: “E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos. Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos.” Apocalipse 15:3-4
Hoje vimos tantas igrejas, cantores gospel, pessoas criando e cantando músicas que exaltam o seu próprio ego, carregados de mensagens de auto-ajuda, motivações, cobiças, desejos de auto-exaltação (da mesma forma as mensagens pregadas).
Como isso pode ser aceitável aos olhos de Deus? Toda a forma de adoração está escrita na bíblia, se querem colocar a prova, confrontem com as palavras da Sagrada escritura. O louvor que agrada a Deus é aquele que fala do projeto de resgate da alma, libertação do pecado e novidade de vida e também dos atributos de Deus.
Na criação a terra era sem forma e vazia, e indiscutivelmente a terra está retornando a sua primeira forma, pois muitos têm deixado o seu Criador, negando o seu projeto de resgate e vida, para seguir suas infames paixões. Não há mais o anelo pelo nosso Deus, as pessoas estão se tornando arrogantes, auto- suficientes, blasfemos, inconciliáveis. Por isso a nossa alma grita desesperadamente, quem irá escutá-la?
“Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor.” Salmos 150:6
Sandro L. Oliveira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s