A Última Trombeta

Jesus está voltando!

A vinha e a sua vindima

images
Trataremos de um assunto muito pertinente ao tempo profético para a igreja: o tempo da colheita e da vindima.
Aqueles que ouvem a voz do Espírito podem perceber esse tempo que está descrito na bíblia e que é o tempo profético ligado ao arrebatamento da igreja e o ao mesmo tempo a execução do justo juízo de Deus sobre os profanos.
Vamos usar o seguinte texto bíblico como base do nosso assunto: “Lançai a foice, porque já está madura a seara; vinde, descei, porque o lagar está cheio, e os vasos dos lagares transbordam, porque a sua malícia é grande. Multidões, multidões no vale da decisão; porque o dia do Senhor está perto, no vale da decisão.” Joel 3:13-14. Para iniciarmos o assunto temos que entender a quem essa profecia se refere e o porquê é tão importante que a decisão de cada um, esteja em acordo com a vontade do Pai, e isso só podemos adquirir quando estamos em comunhão com o Espírito Santo de Deus, pois é Ele quem desvenda os mistérios celestiais.
Vamos pegar também como base os textos de Apocalipse 14, Apocalipse 19 e Isaías 63 como complemento ao assunto.
Para entendermos o momento profético colocaremos dois aspectos ligados aos frutos das vides espirituais e carnais. Um é resultado do fruto dos ramos enxertados na VIDEIRA VERDADEIRA (Jesus) e outro é resultado da preparação do vinho da ira de Deus preparado sem mistura para àqueles que desprezam e rejeitam a Sua salvação.
O primeiro é um resultado daqueles que permanecem na fé e também em Cristo Jesus e isso podemos conferir no texto: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará; e podará todo o que der fruto, para que produza mais fruto. Vós já estais puros pela palavra que vos tenho anunciado.
PERMANECEI EM MIM E EU PERMANECEREI EM VÓS. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; PORQUE SEM MIM NADA PODEIS FAZER.” João 15:1-5. Podemos entender que nenhum esforço para produção do bom fruto é obra da mão do homem, se não do próprio Deus e isso podemos conferir quando Ele próprio diz: “… O meu amado tem uma vinha num outeiro fértil. E cercou-a, e limpando-a das pedras, plantou-a de excelentes vides; e edificou no meio dela uma torre, e também construiu nela um lagar; e esperava que desse uvas boas, porém deu uvas bravas. Agora, pois, ó moradores de Jerusalém, e homens de Judá, julgai, vos peço, entre mim e a minha vinha. Que mais se podia fazer à minha vinha, que eu lhe não tenha feito? Por que, esperando eu que desse uvas boas, veio a dar uvas bravas?” Isaías 5:1-4.
Esse texto fala de todo o trabalho feito por Deus em favor do Seu povo escolhido (Israel) esperando uma boa colheita, mas ao querer colher o fruto do Seu trabalho, esperando um fruto de qualidade foi lhe entregue um fruto aquém daquilo que se esperava; e o mesmo vale para a igreja moderna (não incluo os que andam na direção e na vontade do Senhor) quando chegar o tempo em que todos nós teremos que apresentar os frutos, resultado da semente plantada na cruz do calvário, regada a sangue e água.
Seguindo o raciocínio trazemos a tona o tempo da colheita que está prestes a ocorrer. Um alerta profético nos deixou Jesus: “Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa” João 4:35.
Em Apocalipse 14, podemos entender que serão feitas duas colheitas: uma para preparação do vinho do grande banquete da alegria eterna e outra para ser lançado no lagar da ira de Deus. Para isso temos a seguinte profecia: “E olhei, e eis uma nuvem branca, e assentado sobre a nuvem um semelhante ao Filho do homem, que tinha sobre a sua cabeça uma coroa de ouro, e na sua mão uma foice aguda. E outro anjo saiu do templo, clamando com grande voz ao que estava assentado sobre a nuvem: Lança a tua foice, e sega; a hora de segar te é vinda, porque já a seara da terra está madura. E aquele que estava assentado sobre a nuvem meteu a sua foice à terra, e a terra foi segada.” Apocalipse 14:14-16. Isso fala da primeira colheita, onde os santos serão retirados da terra para gozar da alegria da salvação e que nunca findará, em contrapartida temos a profecia: “E saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e clamou com grande voz ao que tinha a foice aguda, dizendo: Lança a tua foice aguda, e vindima os cachos da vinha da terra, porque já as suas uvas estão maduras. E o anjo lançou a sua foice à terra e vindimou as uvas da vinha da terra, e atirou-as no grande lagar da ira de Deus. E o lagar foi pisado FORA DA CIDADE, e saiu sangue do lagar até aos freios dos cavalos, pelo espaço de mil e seiscentos estádios.” Apocalipse 14:18-20. Este segundo momento fala sobre a execução do juízo de Deus quando se diz: “Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome.” Apocalipse 14:10-11.
Deus separa a humanidade em duas características: aqueles que são chamados seus filhos e os filhos da desobediência e do pecado. Daí entra a figura do Espírito Santo, que testifica quem são os filhos de Deus e quem são os filhos da ira. É através do Espírito que geramos os frutos da videira para ser gerado o bom vinho que agrada a Deus; Ele é o elemento de ligação entre nós ramos e a Videira Verdadeira e também a Oliveira verdadeira, que em conseqüência nos faz produzir o vinho e também o azeite, frutos do Espírito.
Alguns atos proféticos já foram executados sobre a terra e podemos perceber claramente a ação desses atos como citaremos o exemplo da liberação do cavalo preto que foi responsável pela crise mundial em 2008; este foi lhe dado poder para medir a terra e cobrar o valor dela perante os céus, mas a ordem expressa e clara de Deus era que ele não causasse dano nem aos frutos da videira nem o da oliveira. Não confundamos achando que não foi permitido que tocasse nos valores materiais dos que servem a Deus, mas a ordem foi para que não tocasse nos valores espirituais dos filhos de Deus, como podemos conferir na seguinte profecia: “E, havendo aberto o terceiro selo, ouvi dizer o terceiro animal: Vem, e vê. E olhei, e eis um cavalo preto e o que sobre ele estava assentado tinha uma balança em sua mão. E ouvi uma voz no meio dos quatro animais, que dizia: Uma medida de trigo por um dinheiro, e três medidas de cevada por um dinheiro; e não danifiques o azeite e o vinho. Apocalipse 6:5-6”.
Este que estava assentado sobre o cavalo preto ou os outros cavaleiros (exceto o que está assentado sobre o cavalo branco) descritos no Apocalipse não são dignos de executar o juízo final de Deus e nem de dar a recompensa àqueles que produziram frutos espirituais da vide.
Mas quem é o que executará o Juízo de Deus sobre os filhos da desobediência e pisará no grande lagar de Deus, quem será achado por digno de executar tal ato de justiça e juízo entre todos do céu, da terra e debaixo da terra?
Para isso vamos a Isaías 63 e vejamos o que diz tal texto: “Quem é este, que vem de Edom, de Bozra, com vestiduras tintas de escarlate? este que é glorioso no seu traje, que marcha na plenitude da sua força? Sou eu, que falo em justiça, poderoso para salvar.
Por que está vermelha a tua vestidura, e as tuas vestes como as daquele que pisa no lagar? Eu sozinho pisei no lagar, e dos povos ninguém houve comigo; eu os pisei na minha ira, e os esmaguei no meu furor, e o seu sangue salpicou as minhas vestes, e manchei toda a minha vestidura. Porque o dia da vingança estava no meu coração, e o ano dos meus remidos é chegado. Olhei, mas não havia quem me ajudasse; e admirei-me de não haver quem me sustivesse; pelo que o meu próprio braço me trouxe a vitória; e o meu furor é que me susteve.” Isaías 63:1-5
Também pegaremos o texto de Apocalipse 19 para complementar o assunto: “E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga a peleja com justiça. Os seus olhos eram como chama de fogo; sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus. Seguiam-no os exércitos que estão no céu, em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso.” Apocalipse 19:11-15. Este é aquele pelo qual temos o testemunho do próprio Pai que diz: “Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.” Salmos 110:1 e também Atos 2:35-36 e Hebreus 1:13. É este quem foi achado digno de abrir o livro do evangelho eterno (Apocalipse 14:6-7 e Ezequiel 2:9-10) e isso podemos conferir a veracidade em Apocalipse 5: “E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos. E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos? E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele. E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele. E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos.” Apocalipse 5:1-5. Somente Ele é digno de executar os juízos de Deus e também de conceder a salvação.
Tudo se resume em Cristo, Ele é o executor do plano de salvação e o Justo Juiz que executará os juízos e a justiça de Deus sobre todos. Nós seremos julgados ou justificados conforme o fruto que apresentarmos para a vindima do Grande Dia do Senhor, por isso devemos ter o temor e a reverência necessária ao Rei dos reis e Senhor dos Senhores, Ele não é aquela figura sofrida em que muitos representam, pois Ele é todo poderoso, cheio de amor, mas também cheio de justiça e de juízos. A seara da terra já está madura e em breve será a colheita. Que nunca nos afastemos Daquele que nos aperfeiçoa para darmos os frutos certos e puros, Amém!!!
Sandro L. Oliveira

Anúncios

Um comentário em “A vinha e a sua vindima

  1. juliano
    21 de novembro de 2014

    a ultima trombeta é apocalipse 11 os dois profetas para nós esta aberto o sétimo selo mas só os conchece quem está dentro da meia hora de silêncio

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 11 de novembro de 2014 por em Volta de Jesus e marcado , , .

Postagens no Instagram

#DefesaDoEvangelho #Evangelho #Deus #Jesus #Fé #Bíblia
"Sabei, pois, que o Senhor separou para si aquele que é piedoso; o Senhor ouvirá quando eu clamar a ele." (Salmos 4:3) Esse é o Deus gentil e amoroso a quem servimos Todo louvor ao Deus eterno que cuida de nós e nos ouve! Renda-se ao oleiro😉

Visitantes

Map

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 95.117 outros seguidores

Follow A Última Trombeta on WordPress.com

Estatísticas do blog

  • 2,485,055 cliques

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: