Papa inicia visita de 3 dias à Turquia nesta sexta-feira

NOTA: O QUE O PAPA VAI FAZER NUM PAÍS QUE NÃO TEM CATÓLICOS, RAROS CRISTÃOS ORTODOXOS, VISITA UM PALÁCIO DO SULTÃO ERDOGAN E O EXALTA COMO PACIFICADOR? SE ERDOGAN É O ANTICRISTO, A FUNÇÃO DO FALSO PROFETA É O EXALTAR COMO O HOMEM QUE TRARÁ A PAZ AO MUNDO…. E VAMOS VENDO SINAIS!

O papa Francisco visita a Turquia num momento sensível para o país muçulmano, que abriga 1,6 milhão de refugiados e estuda como lidar com o grupo Estado Islâmico, na medida em que seus combatentes já tomaram consideráveis territórios na Síria e no Iraque, do outro lado da fronteira turca.

A expectativa é que Francisco use seu discurso de abertura nesta sexta-feira para denunciar a violência cometida pelos extremistas em nome de Deus e expresse solidariedade aos cristãos e outras minorias religiosas, que têm sido alvo de assassinatos e massacres, além de serem obrigados a deixar suas casas.

papa-francisco-fe6cA visita de três dias dará também a Francisco uma chance de se aproximar da pequena comunidade cristã turca – menos de 1% dos turcos são católicos – e visitar o líder espiritual dos cristãos ortodoxos, o patriarca ecumênico Bartolomeu I.

Enquanto o Papa chamou a atenção contra o “fanatismo e o fundamentalismo”, o Presidente turco falou em islamofobia e terrorismo, e mostrou-se desiludido com a resposta internacional aos massacres na Síria e ao golpe de Estado no Egito. “O mundo não tem reações apropriadas em golpes militares, massacres, violações de direitos e o derramamento de sangue que sucedem em alguns países. De facto, chegam a ser quase encorajados”, afirmou Erdogan, acusando a comunidade internacional de ter “dois pesos e duas medidas”. A este propósito, deu como exemplos “o terrorismo de PKK” e as políticas do regime sírio.

O Papa Francisco, que começou por recordar a Anatólia como um lugar que atrai peregrinos cristãos de todo o mundo, sublinhou que “o diálogo é necessário. Muçulmanos, Judeus e Cristãos deveriam ter os mesmos direitos e deveres perante a lei”. Sobre o fanatismo e o terrorismo, o Sumo Pontífice lembrou os ataques terroristas na Síria e no Iraque, “muitos contra minorias”. Durante a sua intervenção alguns minutos antes, Erdogan recordou as “reformas históricas que melhoraram os direitos das minorias” e disse que o seu país está preparado “para encontrar soluções contra o racismo, a islamofobia e a intolerância”.

O Papa agradeceu à Turquia pela “generosidade” que demonstra ao receber refugiados sírios. O país alberga 1,6 milhões de refugiados sírios, metade do total dos cidadãos que fugiram da Síria desde o início da guerra, em março de 2011. “Os problemas [no Médio Oriente] não podem ser resolvidos apenas pela via militar”, frisou o Papa, referindo-se aparentemente ao combate internacional aos radicais do Estado Islâmico. “O fanatismo e o fundamentalismo, bem como os medos irracionais que potenciam equívocos e descriminação, precisam de ser combatidos através da solidariedade de todos os crentes.” “Que Deus abençoe a Turquia e faça dela um grande pacificador“, pediu.

Francisco vai visitar dois dos mais importantes locais de Istambul, o complexo de Santa Sofia (Hagia Sofia) – a igreja bizantina que foi transformada numa mesquita e, atualmente, é um museu – e a mesquita do sultão Ahmed, o mais importante local de culto muçulmano da Turquia.

A segurança foi intensificada. Meios de comunicação turcos informam que cerca de 2.700 policiais foram destacados somente em Ancara para proteger o pontífice. Um tribunal emitiu uma ordem que permite à polícia parar e vistoriar carros e realizar a verificação de identidade aleatoriamente ao longo das rotas por onde o papa vai passar.

Na véspera da viagem, Francisco repetiu que é legítimo usar a força para conter o avanço do Estado Islâmico, mas apenas com o endosso da comunidade internacional. Perguntado se o diálogo é possível com um grupo que ataca minorias religiosas, Francisco declarou que “talvez não possamos ter um diálogo, mas nunca devemos fechar a porta”.

O papa envolve-se em certa controvérsia por ser recebido, nesta sexta-feira, pelo presidente turco Recep Tayyip Erdogan em seu novo palácio em Ancara, um complexo de 1.000 quartos localizado em terras agrícolas e florestais que ofusca a Casa Branca e outros palácios europeus.

Francisco, cujo estilo espartano de vida é bem conhecido, passará a tarde desta sexta-feira no palácio de US$ 620 milhões, reunindo-se com o presidente e o primeiro-ministro e discursando para dignitários turcos e para o corpo diplomático.

O Vaticano não atendeu ao pedido do escritório de Ancara da Câmara Turca dos Arquitetos para que o papa boicotasse a reunião, afirmando que Francisco será recebido onde quer que o governo decida recebê-lo.

Nesta foto, o Papa faz “oração” se curvando em direção à Meca.

sns-rt-lynxnpeaar0kp-jpg-20141128

Fonte: Associated Press.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s