A falsificação do cálice e o verdadeiro valor dos cálices de Deus

1Queridos (as) repassamos um sonho que recebemos de um dos nossos irmãos e com uma busca mais aprofundada ao Senhor alcançamos alguns entendimentos referentes ao sonho.

“Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou irritaremos o Senhor? Somos nós mais fortes do que ele?” 1 Coríntios 10:20-22

SONHO:

 

“Eu estava dentro de um ônibus e uma mulher que estava sentado na minha frente evangelizava um jovem e depois ia pregar diante de todos do ônibus. E eu via que um homem dentro daquele ônibus retirou um cálice de ouro de dentro de uma espécie de bolsa e começou a querer chamar atenção das pessoas enquanto aquela mulher pregava. Quando o homem ergueu aquele cálice eu começava a falar para ele: “Esse cálice é imitação do que está no céu diante de Deus, este cálice não é verdadeiro”. Ao perceber isso dois seres malignos cuja aparência era dois homens altos e seus rostos eram cobertos de pelos ruivos, eles eram carecas e tinham orelhas pontiagudas e estavam vestidos de forma muito diferente de todos ali. Esses seres ao perceberem que eu tinha visto que aquele cálice era falso, eles levantaram e vieram naminha direção e na direção da mulher que estava pregando com muito ódio. E eu orava e depois dizia para eles: “vocês sabem do que eu estou falando, afinal vocês já estiveram lá e sabem o valor do cálice que está diante de Deus né?”e eles ouviam isso e ficava me mandando calar a boca e vinham com muito ódio para nos pegar, mas eu orava a Deus e aquela oração paralisava aqueles dois seres. Então eu acordei assustado e fui orar.”2

Quando observamos o momento deste evangelho desta ultima hora podemos facilmente perceber que o falso evangelho (que não está ligado com a centralização de Jesus e do Seu sacrifício salvífico, através do derramamento do Seu precioso sangue) está com roupa de verdade, com puro engano no conteúdo, transformando o que é eterno naquilo que está ligado aos deleites dessa vida.

Quando comparamos o sonho com a realidade atual podemos atentar para a seguinte afirmação: Enquanto se era para estar pregando o cálice da salvação do Senhor, os demônios estão distraindo com cálice do falso evangelho que aos olhos do ser humano é algo atraente e chamativo, mas cega as pessoas para o verdadeiro Deus. Porque o falso evangelho é mais atraente e mais chamativo, e é mais fácil de viver. Mas este evangelho nega a eficácia verdadeira da cruz e da renuncia. Hoje as pessoas preferem beber o cálice preparado por demônios do que beber de Cristo Jesus. O Senhor está então nos ensinando que existem dois cálices nos céus e cada um será distribuído de acordo com as próprias obras. No grande dia do Senhor compreenderemos com mais eficácia o que expressa o seguinte versículo: “Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve.” Malaquias 3:18.

Por muito tempo alguns teólogos ligavam o seguinte texto bíblico com a igreja apostólica romana: “E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua fornicação; e na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra.” Apocalipse 17:4,5. Certa parte está ligada a igreja católica sim, mas se formos analisar por um ângulo mais profundo percebemos que esses versículos está diretamente ligado a todos aqueles que com a boca professa a fé em Cristo, e até aceita por certo tempo o amor Dele, mas depois troca o amor verdadeiro (João 3:16) por valores terrenos. E nessa triste realidade vemos uma grande parcela (infelizmente a maior parte) do evangelho moderno, tornando-o um evangelho apóstata e prostituído.

            Quando fazemos um estudo bíblico percebemos que Deus dispõe para a humanidade esses dois cálices – um para os ímpios (todos que amam e cometem as obras da carne) e outro para os santos (que vivem ou buscam a santificação) – o que está acontecendo no meio do evangelho e verificando o sonho, vemos que os seres humanos influenciados por doutrinas infernais tem-se apresentado um falso cálice, ou olhado mais profundamente percebemos que eles escondem ou maquia a verdade dos cálices celestiais. Quando pegamos as citações bíblicas podemos perceber que entre os cálices, ambos fazem referência a Juízo e Justiça de Deus. Podemos perceber que segundo os ensinamentos bíblicos Deus faz mais referência ao cálice ligado ao juízo do que ao cálice ligado a justiça, e isso porque como está relatado: “são poucos os que se salvam? E ele lhe respondeu: porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão.” Lucas 13:23 e 24. E porque isso? Porque muitos não recebem de bom grado a verdade sobre o evangelho genuíno, antes a grande maioria está preocupa com os deleites passageiros do que com a sua própria eternidade, pois a verdade bíblica sobre o Reino dos céus escandaliza a muitos.

Para comprovação do que estamos dizendo, vamos ao seguinte versículo: “E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.” João 3:19. Sabendo disso podemos aprofundar um pouco mais sobre o valor dos cálices que Deus tem preparado para os que se rebelam ou se rebelaram contra Ele (homens e anjos caídos) e para os que esperam e vivem em Cristo Jesus. Vamos então citar alguns textos bíblicos:

“Mas Deus é o Juiz: a um abate, e a outro exalta. Porque na mão do Senhor há um cálice cujo vinho é tinto; está cheio de mistura; e dá a beber dele; mas as escórias dele todos os ímpios da terra as sorverão e beberão.”Salmos 75:7 e 8

 

“Desperta, desperta, levanta-te, ó Jerusalém, que bebeste da mão do Senhor o cálice do seu furor; bebeste e sorveste os sedimentos do cálice do atordoamento.” Isaías 51:17

 

“Assim diz o Senhor Deus e o teu Deus, que pleiteia a causa do seu povo: Eis que eu tiro da tua mão a taça de atordoamento e o cálice do meu furor; nunca mais dele beberás;” Isaías 51:22

 

“Pois assim me disse o Senhor, o Deus de Israel: Toma da minha mão este cálice do vinho de furor, e faze que dele bebam todas as nações, às quais eu te enviar. Beberão, e cambalearão, e enlouquecerão, por causa da espada, que eu enviarei entre eles.” Jeremias 25:15 e 16

 

“Estas coisas se te farão, porque te prostituíste após os gentios, e te contaminaste com os seus ídolos. No caminho de tua irmã andaste; por isso entregarei o seu cálice na tua mão. Assim diz o Senhor DEUS: Beberás o cálice de tua irmã, fundo e largo; servirás de riso e escárnio; pois nele cabe muito. De embriaguez e de dor te encherás; o cálice de tua irmã Samaria é cálice de espanto e de assolação.”  Ezequiel 23:30-33

 

“Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome. Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:10-12

“…Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu Babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua fornicação.” Apocalipse 14:7 e 8

Existem muitos outros textos bíblicos que fazem referência ao cálice de Deus, mas citamos esses para que possamos entender que o Deus que nós dizemos servir é digno de adoração e espanto. Quando lemos diligentemente os versículos citados acima, temos apenas duas posições a tomar – ou mudamos a nossa forma de conduzir a nossa vida diante de um Deus Altíssimo e Todo Poderoso (El Gibbor) ou então desistimos de vez de servir a Deus e abraçamos o pecado e o inferno. Pois o Deus que nós servimos é Santo e Terrível (não terrível de mal, mas de ser infinitamente justo e não compactuar e ainda mais, por ter preparado uma ira terrível por causa da repulsa que o pecado causa a um Ser tão puro e tão santo [Deus é juiz justo, um Deus que se IRA todos os dias. Se o homem não se converter, Deus afiará a sua espada; já tem armado o seu arco, e está aparelhado.” Salmos 7:11,12]), só de ouvir isso já era para o nosso coração se encher de temor e de assombro.

Esse temor surgiu no coração de Jacó quando percebeu a Santidade de Deus e a condição do homem, como ele mesmo exclama: “Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus.” Gênesis 28:17 da mesma maneira também o profeta Isaías quando se coloca diante da Santidade de Deus exclama: “Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos.” Isaías 6:5. Como então não temeríamos a um Deus desse? Será que o Deus que esses seus servos da bíblia e muitos outros tiveram a oportunidade de contemplá-Lo é diferente do que a igreja atual presta culto? De certo que não, pois está escrito: “Pois eu Jeová não mudo; por isso vós, filhos de Jacó, não sois consumidos.” Malaquias 3:6.

 Muitos não querem ouvir essa verdade, pois pensa que a ira de Deus vai contra o princípio de Deus ser amor e verdadeiramente Ele o é, mas também é um juiz implacável contra o pecado, e a execução da Sua santa ira e repulsa contra o pecado não macula Sua perfeição divina. Em primeiro lugar porque Deus é o Único atingido diretamente pelas práticas de iniqüidades e rebelião dos homens que estão “mortos em pecado” e de satanás e seus anjos caídos; em segundo porque a própria Justiça de Deus o faz com que execute juízo a tais seres abomináveis. Ou seria Deus justo se perdoasse a Satanás e aos homens que amam e praticam obras detestáveis e malignas? Que justiça haveria para os que são seus verdadeiros filhos?

Por isso erroneamente hoje é desprezado os Juízos e a Ira de Deus com pretexto de que Deus não pode manchar Sua perfeição executando obra tão má aos olhos dos homens. As pessoas acham que se Deus fizer isso Ele estará agindo com maldade, por isso muitos dizem: “Se Ele é amor e perdão, então porque agirá desse jeito?”.

Então vamos mais uma vez as escrituras: “Tu que és tão puro de olhos que não podes ver o mal, e que não podes contemplar a perversidade, por que olhas para os que procedem aleivosamente, e te calas enquanto o ímpio devora aquele que e mais justo do que ele?” Habacuque 1:13 e ainda: “Ninguém, sendo tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele a ninguém tenta.” Tiago 1:13 para continuar o nosso assunto ainda colocamos dois textos: “Acaso tenho eu prazer na morte do ímpio? diz o Senhor Jeová; não quero eu antes que se converta do seu caminho, e viva?” Ezequiel 18:23 e ainda este: “Estendi as minhas mãos o dia todo a um povo rebelde, que anda por caminho, que não é bom, após os seus pensamentos” Isaías 65:2. Então seria Deus injusto se operasse de tal forma para uma raça que é continuamente má e se deleita em coisas detestáveis, provocando a ira e o ciúme de Deus? De maneira alguma, pois como está escrito: “E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas.” 1 João 1:5, não seria o ser humano que é maligno desde o princípio? (Gênesis 6:5).

Entendendo esse princípio podemos saber que o homem na condição natural é mais do que merecedor de beber do cálice da ira de Deus. Quando ouvimos isso o nosso coração se enche de temor e a única coisa que passa à nossa cabeça é a pergunta que fez os discípulos: “…Quem poderá pois salvar-se? E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.” Mateus 19:25-26. Mas então, o que faz Deus provar o Seu amor e as Suas infinitas misericórdias para com a humanidade? Quando Ele envia o Seu Filho inculpável para tomar o lugar do pecador, Ele cumpre a Sua Justiça e esmaga Jesus na cruz e Se mostra em extremo a Sua Graça e a Sua Misericórdia para com o pecador.

Ao entendermos que alguém deveria beber do cálice da ira de Deus Pai (que por um tempo daria a chance para o pecador não beber desse cálice) nós chegamos a Cristo. Pois o próprio Jesus bebeu do cálice do Pai na cruz para reconciliar o mundo com o Pai (2 Coríntios 5:17-19). Quando vamos para as Sagradas Escrituras, vemos que Ele mesmo na condição humana estava com medo de beber o cálice, por isso ele diz: E disse: “Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres.” Marcos 14:36. Porque Ele sabia da agonia que seria e quão terrível é beber do cálice da ira de Deus. Mas Ele como Filho de Deus, mesmo sabendo de toda agonia e todo o sofrimento que estava Lhe aguardando obedeceu e foi perfeito diante de todos (céus, terra e inferno) na demonstração da maior prova do amor de Deus para com os homens, fazendo com que o próprio Cristo deixasse o resplendor e o trono da Sua glória para se tornar como homem e assumir a culpa que não era Sua, como está escrito a respeito Dele: “E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.” Filipenses 2:8-11.

            Jesus sentiu o peso da ira de Deus na cruz para tomar para si os pecadores e dar eles uma forma de fugir da ira futura. Ele suportou o peso da ira (pois era o único que podia suportar) e o Pai esmagou-O na cruz para que através da Sua morte aqueles que aceitarem o Seu sacrifício alcance vida e fuja da ira futura (Isaías 53 – leia todo o capítulo).

            Ele mesmo sabia o que Lhe aguardava ao assumir o lugar que nenhum outro poderia assumir para a remissão das almas perdida e para a reconciliação dessas com o Deus Santo e Puro (Trindade). Ou seja, o próprio Deus Elohim (Pai, Filho e Espírito Santo) estava pagando a dívida para com Ele mesmo através da morte de Cristo. Ele mesmo bebeu do Seu próprio cálice para que o homem pudesse ter uma chance de alcançar vida e vida em abundância. Quando falamos que ninguém poderia beber do cálice que Ele mesmo bebeu (agora você precisará da ajuda do Espírito Santo para entender que Cristo fala que Ele bebeu o cálice da ira pra que nós pudéssemos beber do cálice da salvação), vamos então aos versículos: “Jesus, porém, respondendo, disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Dizem-lhe eles: Podemos. E diz-lhes ele: Na verdade bebereis o meu cálice e sereis batizados com o batismo com que eu sou batizado, mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado. Mateus 20:22 e 23. Isso é muito profundo, no primeiro momento Jesus está se referindo que Ele tomaria o cálice do Pai em nosso lugar e no segundo Ele está dizendo que beberíamos do cálice da salvação e da Nova Aliança pelo Seu sangue. Podemos ainda ver que o homem não entende os projetos de Deus, pois a sua mente é muito limitada – “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.” Isaías 55:8 / “…pensavas que era tal como tu…” Salmos 50:21. / “…porque o Senhor não vê como vê o homem…” 1 Samuel 16:7. Com base nisso podemos ver que Deus na sua infinita sabedoria, já havia planejado uma solução para o pecador antes mesmo do mundo visível existir e quem seria o executor desse plano seria o Seu próprio Filho. Cristo já sabia que Ele era o Cordeiro de Deus e que seria necessário que Ele mesmo bebesse desse cálice antes mesmo da fundação do mundo. O homem natural não pode entender esse ato, assim como Pedro na sua mente limitada achou que daria um “jeitinho” de livrar o Filho de Deus dessa agonia terrível, como está descrito: “Então Simão Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco. Mas Jesus disse a Pedro: Põe a tua espada na bainha; não beberei eu o cálice que o Pai me deu?”João 18:10 e 11. O ser humano sempre tenta achar uma desculpa, ou um meio de fugir da verdade absoluta, ou melhor, sempre acha um jeito de tentar “mascarar” o cálice que será derramado sem dúvida sobre a face da terra.

            Não há como escapar – ou se bebe o cálice que Cristo oferece através do Seu sangue, como se está escrito: “Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós…” Lucas 22:20 e 21. Desta maneira você aceita, e aceitar não é somente dizer da boca pra fora que aceitou, e só se demonstra que aceitou através da fé, e só se demonstra através da fé quando as suas obras (frutos) começam a aparecer quando se obedece aos mandamentos descritos na Bíblia – ou então, beberá o cálice da ira.

O cálice q Jesus bebeu é o cálice verdadeiro que está diante do Pai, e através desse ato Ele derramou o Seu precioso sangue para que aqueles que se achegassem a Ele, e o reconhecessem como Soberano Senhor, digno de todo o louvor e adoração; pois, a única forma de alcançar a vida eterna é aceitando o Dono da Vida.

            Abrindo um parêntese podemos acrescentar o valor da ceia. A ceia é um grande sinal de que Cristo bebeu o cálice da ira de Deus e nos deu o cálice da salvação, portanto é tão digno como é indigno participarmos da ceia do Senhor – vai depender de como você irá se assentar a mesa do Senhor – pois como está escrito: “Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi TRAÍDO… semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.” 1 Coríntios 11:23-29

Para tal, devemos entender pelo menos um pouco sobre o significado dos cálices que estão predestinados para o Reinado de Cristo, e da execução do Seu justo julgamento (Salmos 24:7-10 / João 5:22-27 / Apocalipse 14:7, Apocalipse 19:6/ Apocalipse 19:15). Com base nos textos citados podemos verificar que será o próprio Senhor Jesus que executará os Juízos de Deus – Ele também é o Legislador (pois é a palavra de Deus – João 1/ Apocalipse 19:13). Ele bebeu o cálice da ira de Deus (Isaías 53:10-12) e ofereceu outro cálice (Mateus 26:27-29). Baseados nisso podemos afirmar que existem dois cálices: um que será para as bodas do cordeiro que Davi expressa “tomarei o cálice da salvação…” e outro que Deus derramará como juízo sobre o pecado, sobre o diabo e os anjos caídos e sobre os que não aceitaram a Cristo.

Antes todos estavam destinados a beber do cálice da ira de Deus, (pois todos pecaram e destituídos foram da Glória de Deus) mas Jesus tomou em nosso lugar e ao invés do cálice da ira nos ofereceu o cálice da salvação e da alegria. Davi inspirado pelo Espírito Santo entende o valor deste cálice oferecido por Cristo, por isso expressa: “Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do Senhor. Pagarei os meus votos ao Senhor, agora, na presença de todo o seu povo.” Salmos 116:12-14.

Louvado seja o nome do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo que demonstrou um amor incomparável para com a humanidade. Quando entendemos isso podemos ver o valor desse versículo: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16. Não desprezemos o valor desse amor, assim como também não devemos desprezar o valor da ira de Deus, tanto um como o outro são reais. E a escolha do cálice que cada um irá beber está nas mãos de cada um (livre arbítrio). Sabendo-se de contrapartida que tudo está centralizado em Cristo para honra e Glória de Deus Pai; se você glorifica ao Filho glorifica também o Pai, se você tem o Filho também tem o Pai; se não glorifica e nem honra o sacrifício de Jesus, então você não tem nem o Filho nem o Pai e ainda continua morto em seus pecados e o que o (a) aguarda é a terrível expectação do derramar da ira vindoura e o cálice preparado sem mistura sobre os filhos da perdição. “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” Apocalipse 2:29.

 SHALOM!!!!

2 comentários em “A falsificação do cálice e o verdadeiro valor dos cálices de Deus

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s