Daniel e a Babilônia: um estudo para o tempo do fim

leaoDaniel assentou em seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem como vinho que ele bebia(…) Daniel 1:8

Introdução

Quando Deus permitiu a Nabucodonosor a vitoria sobre o rei Jeoaquim (Judá) em 605 a.C., o monarca babilônico levou alguns vasos do templo e também alguns escolhidos dentre o príncipes e nobres. Ele escolheu jovens saudáveis, de boa aparência e de alto nível cultural a fim de ensinar-lhes a cultura e língua dos caldeus (i.e., babilônios) e assim torna-los úteis ao serviço real. Entre esse jovens estavam Daniel e seus três amigos, Ananias, Misael e Azarias. Notoriamente observamos através da narrativa desse Livro de Daniel, que o intento primário deste reino era “aprisionar”, “levar cativas” as mentes brilhantes, conforme estudaremos a seguir.

mesopotamia

Babilonia situada entre os rios Eufrates e Tigre (antiga Babel

Babilônia – Contexto histórico

Babilônia, uma antiga cidade da região da Mesopotâmia, situada entre os rios Eufrates e Tigre, atualmente constitui o território do Iraque. Localizada numa planície fértil uns 80 quilômetros ao sul da atual Bagdá, a antiga Babilônia era uma cidade muito impressionante. Com imponentes muralhas duplas e cercada por um fosso, parecia impossível invadi-la. Era famosa por seus jardins suspensos e templos majestosos com suas torres. Sem dúvida, foi uma das cidades mais grandiosas da antiguidade, carregada de belezas, luxo, riquezas. Uma verdadeira atracão para qualquer olhar.

babelO Capitulo 1 do profeta Daniel mostra um panorama literal, e ao mesmo tempo muito profético. Pela localização deste Reino, já percebemos a tentativa de   Satanás de usurpar o poder e o Reinado de Deus. O Jardim do Éden ficava nessa região (Conforme Gênesis 2). Era o lugar onde Deus dividia a presença com o homem, uma perfeição, seu Trono simbolicamente estava ali. Mas com a queda e o pecado introduzido no mundo, toda essa comunhão perfeita findou, e   posteriormente Satanás coloca seu trono no mesmo lugar, através da Torre de Babel. Babilônia, como descreve Apocalipse 18:5, é a mãe das prostituições, demonstrando assim que agora é o inimigo está entronizado ali. Daniel 1:2 descreve que Nabucodonosor levou utensílios do templo de Deus para Sinar. (Sinar remonta ao reino de Ninrode, em Babel , conforme Gênesis 10:10)

Uma demonstração clara do objetivo do rei da babilônia espiritual (o inimigo, o diabo) é aprisionar as mentes, principalmente as mentes nobres, instruídas, claras, definidas, brilhantes. Veja que Daniel 1:3-4 descreve:

E disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real e dos príncipes, Jovens em quem não houvesse defeito algum, de boa aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e doutos em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para assistirem no palácio do rei, e que lhes ensinassem as letras e a língua dos caldeus. (Daniel 1:3,4)

Ele não se preocupa com as mentes mundanas. Ele busca levar cativas as mentes que são iluminadas pela maravilhosa revelação do Espírito Santo, instruídas na verdade da Palavra, da nobreza celeste (profeticamente apontando para os santos). Observe que a história se passa na Babilônia, e tudo quanto é rebelião começa lá. Apocalipse expressa bem isso quando a chama de “mãe das prostituições”. Babilônia profeticamente fala de um lugar perigoso, por ser  sutilmente sedutor; o ataque não é frontal, direto…  Babilônia vai entrando nas mentes e corações, vai mudando os hábitos, vai cegando, tornando a alma insensível _ é o mundo corrompido, prostituído, caído, contaminado; um reino terreno, corrupto, um reino de trevas, porém cheio de atrativos que camuflam suas reais intenções porque mostra uma ‘beleza aparente’ chamativa, que oculta o seu real perigo.

Daniel e seus amigos experimentaram essa sutileza quando a primeira atitude foi a tentativa de trocarem suas identidades!!! Seus nomes que representavam a grandeza do Deus que serviam, sendo substituídas por nomes de deus falsos e estranhos. Mas eles tinham um coração firmado, e em seu intimo não se corromperam não! Tanto que Deus se agradou deles, a ponto de conseguirem se livrar da porção do manjar do rei. E os honrou a ponto de torna-los ainda mais doutos e cheios de sabedoria e inteligência, superando todos os outros; pois o Senhor enxergou neles servos de posição, de oração, vidas separadas e santificadas para um propósito! Aqui na terra, mesmo cativos, eles estavam como soldados do exercito celeste, e sabiam a quem deviam temer e tremer, e a quem obedecer. O cativeiro era cumprimento profético por causa do desvio do povo de Deus, mas Deus sempre tem seus remanescentes fiéis para lutar a causa nobre do Reino de Deus, e os usa com poder em seus propósitos.

Lendo o Livro de Daniel atentamente vemos como a postura de servos consagrados move a Eternidade. Foram muitas situações difíceis de ser em enfrentadas, mas os recursos celestes sempre estavam presentes! Ananias, Misael e Azarias foram livres da fornalha totalmente ilesos por não se dobrarem ao falso deus. Um servo atento e ligado à Eternidade discerne! Olhe atentamente os versículos e veja por si mesmo!

“E o arauto apregoava em alta voz: Ordena-se a vós, ó povos, nações e línguas: Quando ouvirdes o som da buzina, da flauta, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles, e de toda a espécie de música, prostrar-vos-eis, e adorareis a estátua de ouro que o rei Nabucodonosor tem levantado. E qualquer que não se prostrar e não a adorar, será na mesma hora lançado dentro da fornalha de fogo ardente.” Daniel 3:4-6

Viram? Seis instrumentos! Isso tipifica o som do mundo, terreno, coordenado  pelo príncipe desse mundo. Aqueles três discerniram. Eles conheciam o que era eterno, porque o som da musica que eles conheciam e usavam para adorar a Deus era de sete instrumentos, era perfeito:

“Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa. Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos. Louvai-o com os címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes. Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor.” Salmos 150:3-6

Daniel saiu vivo da cova dos leões, porque Deus ouviu as orações que fazia continuamente.

“Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.” Daniel 6:10

Agora, uma experiência igualmente surpreendente e importante: eles buscavam  a Deus com tanta diligencia e fervor (mesmo com o decreto real os proibindo) que a eles foi revelado um grande mistério, conhecer o plano Divino sobre os reinos terrenos gentílicos desde a sua época, até os dias de hoje, o tempo do fim! E estamos nos pés da estatua, em breve os governos humanos passarão para sempre e Jesus Reinará eternamente!

Quando Deus revela o segredo a Daniel, ele o louva. Primeiro reconhece que do Senhor é a sabedoria e a força (ver Daniel 2 a partir do verso 19), que Ele é quem da sabedoria aos sábios e ciência aos entendidos, e  revela o escondido , e depois Daniel declara no verso 23 que Deus lhe deu sabedoria e força, e revelou o mistério. Ele reconheceu que o que ele precisava somente Deus poderia dar.   Que maravilha!

Irmãos, aquele que um dia começou a rebelião do Céu e convenceu os anjos do exercito de Deus, ele mesmo é quem tentado sutilmente tragar as mentes iluminadas por Deus com seu engodo cruel! Satanás não brinca! Suas artimanhas são milenares, fruto de uma mente muito inteligente!  Um servo de Deus desatento, despreocupado, cochilando cai facilmente em seus ardis! Povo de Deus, presta atenção! O diabo não está preocupado com o ímpio.  Ele está preocupado com aqueles, que assim como Moisés, Josué, são usados por Deus para algo grande, para uma saída de uma situação angustiante de uma forma sobrenatural, e todos aqueles feitos assombrosos deles orarem e o mar abrir, descer maná, passar o Jordão, tudo isso foi grande mas foi apenas sombra! Muito mais Deus tem para nós, que temos o sangue de Jesus, temos o nome de Jesus, temos o Espírito Santo! Quando Deus olha da eternidade para nós, seu atual exército na terra, o que Ele tem visto? Um monte de soldado dormindo, mortos espiritualmente? Soldados com nomes de soldados, mas que não passam de um vale de ossos secos? Sem poder, sem unção, sem estar revestido para a imensa batalha espiritual que nos cerca e nos oprime cada dia mais? Soldados entretidos com as distrações da Babilônia? Amando os prazeres deste mundo?? Vamos buscar mais igreja, está na hora de nossa partida, na hora de Deus soprar o seu vento impetuoso de avivamento, um avivamento de santidade no meio do seu povo, de busca, de intensa entrega!! Deus quer soprar como nunca soprou, é hora de colocar  Joel 2 em prática, hora de choro e jejum por amor ao Reino e as almas, é hora de tocar trombeta e anunciar, é hora candeia cheia e acesa,  e botija abastecida com óleo! O Senhor Jesus pergunta em Lucas 18: “Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? Aquela força maligna que atuou sobre os anjos é mesma que atua hoje sobre a igreja de Jesus, numa proporção gigantesca pra nos deixar prostrados diante dos problemas, diante das lutas, diante do comodismo, para que se corrompam com o pecado, para percam a unção do Espírito, percam a luz; para tornar um exército somente de nome, como o de Saul, que já não vencia nenhuma batalha. Ele quer deixar nossas mentes cativas com tanto entretenimento, trabalho, coisas seculares e sem importância. Mas vamos ficar de pé, em nome de Jesus! E que toda rebelião contra Deus e sua Palavra caia por terra! Se formos como Daniel, o leão pode rugir que mesmo assim, ao amanhecer do novo dia, o Senhor nos vai nos tirar da cova! A fornalha não vai prevalecer contra nós. Seremos livres no dia da Ira, e o cativeiro terá fim!

Que o Senhor nos conceda sabedoria e poder do alto, e nos fortaleça, para que não estejamos dormindo durante esse cativeiro terreno, que estamos prestes a vencer. Aqueles que lutam a batalha dia e noite podem vencer essa guerra! Chegou a hora de despertarmos do sono! Que sobre nos venha a sabedoria e entendimento do Alto, para que possamos discernir o momento profético que vivemos, e que Babilônia não encontre lugar em nossos corações. Porque muito em breve a Babilônia vai cair!!! Porque sabemos que Deus, a quem continuamente servimos, vai nos livrar das mãos do rei desse mundo!

3 comentários em “Daniel e a Babilônia: um estudo para o tempo do fim

  1. Amém, que possamos estar cheios do Espírito, sedentos da leitura da palavra, de joelhos dobrados clamado e louvando ao nosso Deus continuamente. Realmente a escravidão mundana que nos cerca está cada vez mais lutando para nos engolir, o entretenimento é forte, a indústria cinematográfica nunca trabalhou tanto para ofender, distorcer e roubar palavras de Jesus. Fiquemos de olhos abertos.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s