Para Marlene e eu, “mistura de emoções” descreve exatamente a nossa festa de casamento. Não interprete errado. Foi um evento maravilhoso que continuamos a celebrar mais de 35 anos depois. A festa, no entanto, foi abafada porque a mãe de Marlene morreu de câncer apenas algumas semanas antes. A tia de Marlene assumiu o papel de “mãe da noiva”, mas em meio à nossa alegria, algo claramente não estava certo. A mãe não estava lá e isto afetou tudo.

Aquela experiência exemplifica a vida em um mundo decaído. As nossas experiências aqui são uma sacola com uma mistura de circunstâncias boas e más, alegres e triste — uma realidade que Salomão expressou quando escreveu: “Até no riso tem dor o coração, e o fim da alegria é tristeza” (Provérbios 14:13). O coração alegre muitas vezes se entristece, pois é isto que esta vida exige algumas vezes.

Felizmente, entretanto, esta vida não é tudo o que há. E na vida que está por vir, aqueles que conhecem Cristo têm uma promessa: “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Apocalipse 21:4). Naquele grande dia, não haverá mistura de emoções — apenas corações repletos da presença de Deus!