PORQUE DEVEMOS TEMER A DEUS

20151112_juizO temor à D’us, do hebraico Yirat Adonai (פחדתי אדונים) é o princípio da sabedoria (Provérbios 9:10). Não há como obtermos a sabedoria verdadeira, e nem chegarmos ao conhecimento de nossa natureza e nem tão pouco da natureza do Eterno apenas por meio de estudos, se nós excluirmos o temor que é devido a Ele. Por isso aqueles que conhecem a D’us apenas pelo atributo do amor (ainda que Ele seja amor de uma forma que ultrapassa o entendimento da mente humana) não O pode conhecer de maneira mais profunda. Nem tão pouco aqueles que procuram dimensioná-Lo por mera filosofia ou teologia.

Nenhum estudo ou grau de conhecimento que podemos obter em qualquer assunto da nossa vida passageira é válido se no decorrer dos nossos anos não aprendermos a temer à santidade de um D’us Todo Poderoso.

Por isso Salomão, o homem mais sábio que pisou na face da terra escreveu em Eclesiastes: “E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne. De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem. Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau.” Eclesiastes 12:12-14

A palavra Yirat (temor) tem um alcance muito mais elevado nas Escrituras Sagradas, às vezes refere-se ao medo que nos sentimos em antecipação de algum perigo ou de sofrimento, mas também pode indicar admiração ou reverência. Nesse último sentido, a palavra Yirat inclui a idéia de maravilha, espanto, mistério, admiração, gratidão, e até mesmo adoração (igual a um sentimento que começa quando nós admiramos algo maravilhoso), tal qual Davi expressou: “Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem” (Salmos 139:14).

Esse elemento tão importante para a humanidade não pode ser extinguido, pois ele nos ensina e nos aproxima da revelação do Ser D’us, que é bendito e maravilhoso em todos os seus caminhos.

A perda do temor a Adonai transforma qualquer ser humano em tolo, porque esconde deste a prudência de não ofender a Santidade do Altíssimo, além do que o faz trilhar em veredas tortuosas e calcar os pés nos caminhos do pecado, cujo fim é a morte eterna (Provérbios 14:12). Não precisamos adentrar muito nos méritos dos caminhos que a humanidade tem trilhado nesse presente século. Basta observarmos bem, e entenderemos o porquê nossa geração anda tão “enlouquecida” e desvairada e a explicação vem logo a nossa mente – porque não foram ensinadas a temer ao verdadeiro D’us, nem mesmo dentro das igrejas é possível ver isso – talvez se eles fossem instruídos, e talvez se não fosse ocultado a eles que: Deus é juiz justo, um Deus que se ira todos os dias (Salmos 7:11-16) buscariam ordenar bem os seus caminhos e fugir da aparência do mal. Se talvez fosse exposto à essa geração que o perverso é abominável ao Senhor (Provérbios 3:32) não tentariam a Ele com suas más e perversas obras.

É preciso aprender que o Eterno não trata com leviandade a justiça, nem tão pouco é comprado por subornos e, portanto: tudo o que o homem semear, isso também ceifará(Gálatas 6:7). É preciso compreender claramente que: Porventura perverteria Deus o direito? E perverteria o Todo Poderoso a justiça? Se teus filhos pecaram contra ele, também ele os lançou na mão da sua transgressão (Jó 8:3-4) e ainda mais é urgente saber que “[…] todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. Assim que, sabendo o temor que se deve ao Senhor, persuadimos os homens à fé, mas somos manifestos a Deus” (2 Coríntios 5:10-11.)

Essa é a sabedoria que não pode ser ignorada, a saber, que mesmo tendo sido salvos de nossos pecados, e em espanto pela grandiosidade da misericórdia de D’us para conosco, certa medida de medo permanece em nossos corações. Mesmo os santos, quando confrontados com a santidade de Deus, sentiram certo terror (cf. Isaías 6). Tal terror se manifesta apropriadamente em reverência e espanto. O temor é, portanto, ter tanto receio de ofender a Deus com nossos pecados, tendo Ele feito tanto em nosso favor, que somos cuidadosos em obedecê-lo em tudo o que fazemos. Esse temor é devidamente sábio, afinal é lícito lembrarmos que: “não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar” (Hebreus 4:13) e ainda: “Eis que os caminhos do homem estão perante os olhos do Senhor, e ele pesa todas as suas veredas. Quanto ao ímpio, as suas iniqüidades o prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido” Provérbios 5:21-22.

Então quero apresentar o D’us verdadeiro que as Sagradas Escrituras revelam:

=> “A ti, ó D’us, glorificamos, a ti damos louvor, pois o teu nome está perto, as tuas maravilhas o declaram. Quando eu ocupar o lugar determinado, julgarei retamente. A terra e todos os seus moradores estão dissolvidos, mas eu fortaleci as suas colunas. (Selá.) Disse eu aos loucos: Não enlouqueçais, e aos ímpios: Não levanteis a fronte; não levanteis a vossa fronte altiva, nem faleis com cerviz dura. Porque nem do oriente, nem do ocidente, nem do deserto vem a exaltação. Mas Adonai é o Juiz: a um abate, e a outro exalta. Porque na mão do Senhor há um cálice cujo vinho é tinto; está cheio de mistura; e dá a beber dele; mas as escórias dele todos os ímpios da terra as sorverão e beberão. E eu o declararei para sempre; cantarei louvores ao Deus de Jacó. E quebrarei todas as forças dos ímpios, mas as forças dos justos serão exaltadas.” (Salmos 75:1-10)

=> “[..] Temei a D’us, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu Babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua fornicação. E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este beberá do vinho da ira de D’us, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro.” Apocalipse 14:7-10

=> “Mas, pergunta agora às alimárias, e cada uma delas te ensinará; e às aves dos céus, e elas te farão saber; ou fala com a terra, e ela te ensinará; até os peixes do mar te contarão. Quem não entende, por todas estas coisas, que a mão do Senhor fez isto? Na sua mão está a alma de tudo quanto vive, e o espírito de toda a carne humana. Porventura o ouvido não provará as palavras, como o paladar prova as comidas? Com os idosos está a sabedoria, e na longevidade o entendimento? Com Ele está a sabedoria e a força; conselho e entendimento tem. Eis que ele derruba, e ninguém há que edifique; prende um homem, e ninguém há que o solte. Eis que ele retém as águas, e elas secam; e solta-as, e elas transtornam a terra. Com ele está a força e a sabedoria; seu é o que erra e o que o faz errar. Aos conselheiros leva despojados, e aos juízes faz desvairar. Solta a autoridade dos reis, e ata o cinto aos seus lombos. Aos sacerdotes leva despojados, aos poderosos transtorna. Aos acreditados tira a fala, e tira o entendimento aos anciãos. Derrama desprezo sobre os príncipes, e afrouxa o cinto dos fortes. Das trevas descobre coisas profundas, e traz à luz a sombra da morte. Multiplica as nações e as faz perecer; dispersa as nações, e de novo as reconduz. Tira o entendimento aos chefes dos povos da terra, e os faz vaguear pelos desertos, sem caminho. Nas trevas andam às apalpadelas, sem terem luz, e os faz desatinar como ébrios.” Jó 12:7-25

Nada é capaz de impedir o agir de D’us (Jó 42:2; Isaías 14:26-27; Isaías 43:13). Se Ele se colocar contra alguém, ninguém há que poderá livrá-lo da Sua poderosa mão; mas ainda assim Ele diz: “Eis que a mão de Adonai não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir” (Isaías 59:1). Eis aí o tempo aceitável do Senhor (Isaías 61:1-11); esse é o tempo de achegarmos a D’us e conhece-Lo, é tempo de arrependermos dos nossos pecados e não endurecermos o nosso coração (Hebreus 3:13-19), porque ainda a Graça está presente a todos quantos se achegarem a Ele (João 6:37).

Portanto “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor, e envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado” (Atos 3:19-20) e então conhecerão a verdadeira sabedoria dos céus.

Shalom!!!

Por Sandro L. Oliveira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s