A Última Trombeta

Jesus está voltando!

Série Profetas Menores – Estudo sobre o livro de Naum parte 2

NAUM: Deus tarda, mas não falha

“O Senhor é tardio em irar-se, e de grande poder, e ao culpado de maneira alguma terá por inocente.” (Na 1.3)

O home tem dificuldades de entender os planos a ação de Deus. Às vezes ele acha que Deus demora demais para agir. Estamos diante de um profeta que fala de um inimigo opressor e de uma inquietação do povo. Até quando Deus esperara para agir, livrar o seu povo e punir o inimigo?

 

O PROFETA E SEU TEMPO

Naum, cujo nome significa “confortado por Jeová”, é originário da região da Galiléia, próximo de Cafarnaum. Ele profetizou entre dois grandes acontecimentos. O primeiro foi a queda da cidade de Tebas, no Egito (663 a.C), citado em 3.8-10 e o outro foi a destruição de Nínive, que é profetizada em seu livro (1.1; 3.7). O tom iminente da profecia indica que o tempo do livro foi próximo a queda de Nínive que ocorreu em 612 a.C. Pode-se pensar uma data para Naum por volta de 615 a.C.

Naum foi da época do declínio do Império Assírio e o surgimento do Império Babilônico. A região onde profetizou, Judá ou Reino Sul, ainda se mantinha livre, sendo que o Reino do Norte já tinha sido destruído em 722 a.C. A liberdade era relativa, porque havia muita ameaça dos Assírios, que eram marcados por um domínio cruel. Mais de um século antes, Jonas tinha pregado em Nínive  e tinha tido uma grande conversão, mas não houve continuidade e agora a cidade está prestes a ser destruída.

 

TEOLOGIA

O livro de Naum tem uma mensagem de punição para o inimigo do povo de Deus e de mensagem de esperança para todo aquele que pensa em Deus como alguém que demora em agira para libertar o seu povo. O profeta quer mostrar que Deus é soberano e justo. Por ser soberano age quando decide que é o momento certo. È justo porque não “tem o culpado por inocente” (1.3). Deus também é o Deus da graça e da esperança. Vale a pena esperar por Deus em todos os momentos da vida.

 

CONTEÚDO

O assunto principal de Naum é a queda de Nínive porque era a capital do Império Assírio e representava a maldade e a opressão. Enquanto Jonas representa a bondade de Deus para com cidade, Naum representa a severidade porque a cidade não aproveitou a chance que Deus tinha dado para que abandonasse o pecado e se convertesse ao Senhor. Embora Nínive tente se livrar, já estavam acontecendo alianças para sua destruição (cf.2.1,6). A causa era o seu pecado.

 

ESTRUTURA

CERTEZA DA DE NINIVE. (1.1-15)

CECO TOMADO DE NINIVE (2.1-13)

A CAUSA DA QUEDA (3.1-19)

 

IMPORTÂNCIA PARA HOJE

É uma mensagem para aqueles que, por causa de sua fé, são oprimidos. Devem saber que Deus restaura e livra os oprimidos e pune os opressores. O mundo que está no caos social, deve se lembrar que Deus está atento. A verdade da justiça de Deus que se revela deve confortar os corações em sofrimento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

Publicado às 28 de janeiro de 2018 por em Estudos e mensagens e marcado , .
Anúncios

Visitantes

Map

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 106.332 outros seguidores

Follow A Última Trombeta on WordPress.com

Estatísticas do blog

  • 3.009.663 cliques

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: