A Última Trombeta

Jesus está voltando!

Série Profetas Menores – Estudo sobre o livro de Naum parte 2

NAUM: Deus tarda, mas não falha

“O Senhor é tardio em irar-se, e de grande poder, e ao culpado de maneira alguma terá por inocente.” (Na 1.3)

O home tem dificuldades de entender os planos a ação de Deus. Às vezes ele acha que Deus demora demais para agir. Estamos diante de um profeta que fala de um inimigo opressor e de uma inquietação do povo. Até quando Deus esperara para agir, livrar o seu povo e punir o inimigo?

 

O PROFETA E SEU TEMPO

Naum, cujo nome significa “confortado por Jeová”, é originário da região da Galiléia, próximo de Cafarnaum. Ele profetizou entre dois grandes acontecimentos. O primeiro foi a queda da cidade de Tebas, no Egito (663 a.C), citado em 3.8-10 e o outro foi a destruição de Nínive, que é profetizada em seu livro (1.1; 3.7). O tom iminente da profecia indica que o tempo do livro foi próximo a queda de Nínive que ocorreu em 612 a.C. Pode-se pensar uma data para Naum por volta de 615 a.C.

Naum foi da época do declínio do Império Assírio e o surgimento do Império Babilônico. A região onde profetizou, Judá ou Reino Sul, ainda se mantinha livre, sendo que o Reino do Norte já tinha sido destruído em 722 a.C. A liberdade era relativa, porque havia muita ameaça dos Assírios, que eram marcados por um domínio cruel. Mais de um século antes, Jonas tinha pregado em Nínive  e tinha tido uma grande conversão, mas não houve continuidade e agora a cidade está prestes a ser destruída.

 

TEOLOGIA

O livro de Naum tem uma mensagem de punição para o inimigo do povo de Deus e de mensagem de esperança para todo aquele que pensa em Deus como alguém que demora em agira para libertar o seu povo. O profeta quer mostrar que Deus é soberano e justo. Por ser soberano age quando decide que é o momento certo. È justo porque não “tem o culpado por inocente” (1.3). Deus também é o Deus da graça e da esperança. Vale a pena esperar por Deus em todos os momentos da vida.

 

CONTEÚDO

O assunto principal de Naum é a queda de Nínive porque era a capital do Império Assírio e representava a maldade e a opressão. Enquanto Jonas representa a bondade de Deus para com cidade, Naum representa a severidade porque a cidade não aproveitou a chance que Deus tinha dado para que abandonasse o pecado e se convertesse ao Senhor. Embora Nínive tente se livrar, já estavam acontecendo alianças para sua destruição (cf.2.1,6). A causa era o seu pecado.

 

ESTRUTURA

CERTEZA DA DE NINIVE. (1.1-15)

CECO TOMADO DE NINIVE (2.1-13)

A CAUSA DA QUEDA (3.1-19)

 

IMPORTÂNCIA PARA HOJE

É uma mensagem para aqueles que, por causa de sua fé, são oprimidos. Devem saber que Deus restaura e livra os oprimidos e pune os opressores. O mundo que está no caos social, deve se lembrar que Deus está atento. A verdade da justiça de Deus que se revela deve confortar os corações em sofrimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 28 de janeiro de 2018 por em Estudos e mensagens e marcado , .

Visitantes

Map

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 111.037

Follow A Última Trombeta on WordPress.com

Estatísticas do blog

  • 3.879.609 cliques

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: