A Última Trombeta

Jesus está voltando!

Série Profetas Menores – Estudo sobre o livro de Habacuque

HABACUQUE: até quando, Senhor?

 

“Por que razão me mostras a iniquidade, e me fazes ver a opressão? Pois que a destruição e a violência estão diante de mim, havendo também quem suscite a contenda e o litígio.” (Hc 1.3)

 

Novamente a inquietação do homem acerca do tempo de Deus em agir. Habacuque esta perplexo com silêncio de Deus sobre as questões mais cruciais da vida humana. Será que Deus esqueceu de nós? Veja em 1.1 que o inicio foge ao padrão dos profetas que começam: “Veio a palavra do Senhor.”

Habacuque é quem rompe o silêncio e pergunta para Deus. Aqui reside algo extraordinário em Deus: ele permite que nós aproximemos dele com as nossas queixas. Ele que nós também tenhamos sensibilidade para com o nosso momento histórico e o busquemos para o compreender  o lugar da fé em tudo que acontece.

 

O PROFETA E SEU TEMPO

Habacuque foi um contemporâneo de Jeremias durante o tempo do declínio do reino de Judá. A referência a Babilônia como um povo emergente indica o período por volta de 625 a 615 a.C, sendo que ele pode ter sido profeta até por volta de 598 a.C. A sua profecia pode ser situada na época logo após a queda de Nínive, quando os caldeus (babilônios)  cresciam em poder (1.6). É um homem que levanta questões honestas diante de Deus. Ele quer viver pela fé (2.4), mas entende que a fé não é o contrário de entender as situações da vida. Ele quer fé com entendimento.

CONTEÚDO

  • A perplexidade do profeta (1.1-17). O profeta protesta diante Deus por causa da situação de calamidade moral e espiritual de sua época (v. 1-4). A resposta de Deus foi que o pior estava por vir (v. 5-11). Aí o profeta protesta novamente, perguntando como podia um Deus Santo usar um instrumento como os caldeus para punir o seu povo (v. 12-17).
  • A percepção do profeta (2.1-20). Através de visão de Deus responde e faz o profeta perceber o que viria sobre a Babilônia no tempo certo de Deus. Quanto ao justo , Deus manda que viva pela fé, porque essa é a sua marca distintiva. Deus sabe o que fazer e de 6-19 faz zombarias a respeito do poder do inimigo.
  • Oração e adoração (3.1-19). O convite à adoração já havia sido feito em 2.20. Aqui no capítulo 3, o profeta ora por libertação, lembrando dos atos salvadores de Deus durante a história do povo e por fim pede forças para a crise presente.

ESTRUTURA

A PERPLEXIDADE DO PROFETA (1.1-17)

A PERCEPÇÃQ DO PROFETA ( 2.1-20)

A ORAÇÃO E O LOUVOR ( 3.1-19)

 

RELEVÂNCIA PARA HOJE

A persiste e que procura as razões do que acontece, se conforta com a resposta de Deus para as situações da vida. A fé é necessária para a comunhão com Deus. Em momentos de perplexidade na vida, só aquele que vive a vida pela fé é capaz de suportar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

Publicado às 4 de fevereiro de 2018 por em Estudos e mensagens e marcado , .
Anúncios

Visitantes

Map

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 106.332 outros seguidores

Follow A Última Trombeta on WordPress.com

Estatísticas do blog

  • 3.009.663 cliques

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: