A Última Trombeta

Jesus está voltando!

O Ciclo Das Festas do SENHOR – Parte1

INTRODUÇÃO

Ao longo das épocas, Deus sempre desejou que o Seu povo eleito, Israel, fosse uma bênção para o mundo, uma nação exclusiva Dele, sacerdotal, um povo que carregava nao somente o Nome Dele, mas também sua moral elevada em toda a sua forma de viver. Dessa forma, Deus abençoaria abundantemente o Seu povo em todo tempo – (Gênesis 12:2-3/Êxodo 19:4-6).

Deus também escolheu Israel como portador da salvação ao mundo – (João 4:22) – desejando dessa forma que Israel fosse o instrumento através do qual Ele traria a redenção ao mundo; Ele preparou povo em particular ensiná-los a conhecer os preceitos eternos, e estarem prontos para receber a Bendita Semente, Cristo, o Salvador.

Esse plano redentor está bem tipificado nas Festas que Ele ordenou para o Seu povo.

Estas festas bíblicas são chamadas de “convocações”  ou “ensaios gerais” (hebraico moed) – Levítico 23:4 – indicando que se trata do programa de Deus para o Seu povo. Em última aplicação, podemos ver que cada uma das festas aponta para o supremo Redentor, Yeshua, o Messias Jesus! As quatro primeiras festas (Festas de Primavera) simbolizam eventos que se cumpriram na primeira vinda do Messias ao mundo. As três últimas (Festas de Outono) se cumprirão na Sua segunda vinda. O povo de Israel ficou por séculos tendo anualmente esses “ensaios gerais” para discernir quando os eventos messiânicos ocorressem literalmente na Terra, mas eles se prenderam à literalidade das Festas e ‘perderam’ esse discernimento dos tempos. Veremos que posteriormente o entendimento revelado dessas Solenidades foram dadas à Igreja (os nascidos em Cristo), depois da descida do Espírito Santo. Ele é quem esclarece o nosso entendimento. A unção que o Espírito vem derramando sobre a Igreja tem levado o povo de Deus discernir e a redescobrir o valor do shofar (trombetas) e das festas bíblicas. Nas cartas do Novo testamento há algumas menções dessas festas e seus significados, que vamos aprender neste estudo, pelo texto mas principalmente, pelos vídeos que estão bem didáticos.

O MESSIAS JESUS É O CUMPRIMENTO DAS FESTAS DO SENHOR PARA ISRAEL

O Messias Jesus é assim o cumprimento de cada uma das Festas do Senhor. Ele é o propósito final da existência delas. “Tudo isso (Festas, Dia de Sábado…) tem sido sombras das coisas que haviam de vir; porém o corpo (lit.: “substância”) é do Messias.” 

“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” (Colossenses  2:16-17.)

Tal como toda a Escritura é inspirada e proveitosa, estas “sombras” são relevantes para os seguidores do Messias, pois nunca deixam de apontar para Ele!

Agora vamos ver esse Ciclo de Festas explicado de forma bem interessante nos vídeos abaixo, pelo irmão Israel.

 

O Ciclos das Festas de Deus – Parte 1/2

O Ciclos das Festas de Deus – Parte 2/2

O povo de Israel é, em si mesmo, uma das grandes evidências de que a Bíblia é verdadeira, devido ao cumprimento de suas promessas e profecias sobre a nação escolhida. Uma vez que se aprecie este fato, abrem-se os olhos para o entendimento do plano que Deus tem para o mundo em todas as épocas. A Israel foram dados inicialmente os oráculos de Deus e nestes oráculos revelam-se de maneira impressionante os principais eventos do futuro do planeta, em particular no que se refere ao plano de redenção. Uma das chaves para entender este plano são as festas do SENHOR. Por isso é tão importante conhecer e estudar esse assunto tão esquecido nas igrejas hoje em dia.

 

MAPA MENTAL: ILUSTRAÇÃO SOBRE O CICLO DAS FESTAS

O ciclo das Festas de Deus.001

Mapa Mental Inspirado no video ‘Os Ciclos das Festas de Deus’ – Canal O Reino de Deus

DESCRIÇÃO DAS SETE FESTAS

1) A Páscoa (Lv 23:5; Ex 12:3-11) Festa que traz a memoria a saída do Egito, onde cada família deveria ofertar e comer 1 cordeiro. Essa Festa foi a primeira a ser instituída, quando o povo de Israel foi libertado da escravidão do Egito (Ex. 12). Um cordeiro era morto no dia quatorze do primeiro mês (Abib) do calendário hebraico. Cumpriu-se de forma precisa no dia da crucificação. Era a Festa da Páscoa, e Cristo foi pregado na cruz às 9 horas, na hora do sacrifício da manhã, e expirou às 15hs, momento do sacrifício da tarde. Cristo foi morto como um cordeiro pascal, na Festa da Páscoa  (I Cor. 5:7; I Ped. 1:18 e 19).

2) A Festa dos Pães Ázimos (Lv 23:6-8; Nm 28:19). No dia seguinte à Páscoa (15 de Abib) começava um período de sete dias onde o povo deveria comer pão sem fermento e oferecer oferta queimada ao Senhor. No verso sete o texto diz que no primeiro dia, ou seja, o dia seguinte a Páscoa, o povo não poderia trabalhar. Essa festa se cumpriu a partir do dia seguinte à morte de Cristo, quando em Lucas 23:54 a 56 diz que as mulheres na sexta-feira de Páscoa embalsamaram o corpo de Jesus e então no Sábado (dia seguinte) descansaram. Começa então o período de consagração daqueles que eram povo de Deus, na esperança da ressurreição de Cristo, que morreu sem pecado, tipificado pelo pão sem fermento (Fermento representa o pecado, leia Mat. 16:6).

3) A Festa das Primícias (Lv 23:9-14; Lv 23:12). Acontecia no dia imediato à festa dos pães asmos (16 de Abib) e festejava o início da colheita. Sem entrarmos em detalhes sobre sua contagem, que divergia entre os Fariseus e Saduceus, vamos esboçar seu significado profético no plano de redenção. Jesus morreu e ressuscitou ao terceiro dia, “como primícias dos que dormem” (I Cor. 15:20).  Ele foi o primeiro. Assim como o povo dedicava ao Senhor os primeiros frutos da colheita, Jesus dedica ao Pai os primeiros frutos da salvação, quando na Sua morte muitos ressuscitaram (Mat. 27:51 a 53) e depois foram levados ao Céu com Ele.

4) A Festa das Semanas (ou Pentecostes) (Lv 23:15-22; Nm 28:27). Era o dia em que os judeus comemoravam com uma grande festa a entrega das tábuas da Lei a Moisés sobre o monte Sinai. Parece haver uma ligação desta festa com as anteriores, como sendo uma continuação (v. 15 e 16). Essa festa comemorava o fim da colheita, uma espécie de segunda festa das primícias. O Pentecostes cumpriu-se cronologicamente em tempo exato (Atos 2:1) e com a descida do Espírito Santo, os seguidores de Deus entregaram “quase três mil pessoas” (Atos 2:41) como frutos da grande colheita desde a morte e ressurreição de Jesus (contrastante com o primeiro Pentecoste do povo Hebreu, quando receberam a Lei de Deus e quebraram a aliança logo depois adorando o bezerro de ouro, ao que Moisés quebra as tabuas e o pecado deles causa a morte de cerca de 3000 homens). Essa festa ensina a ter compromisso com Deus e com a comunidade, a repartir os dons e sermos gratos; reflete maturidade espiritual. Depois da Festa do Pentecostes havia um intervalo até a próxima festa. Assim acontece na história, temos um grande intervalo desde o Pentecostes até a retomada dos cumprimentos proféticos prefigurados pela festa.

5) A Festa das Trombetas (Lv 23:23-25; Nm 29:2-5) No primeiro dia do sétimo mês era tocada a trombeta para anunciar o primeiro dia do ano civil, ou ano novo, seguindo o calendário lunar (lua nova). Os sacerdotes ficavam de prontidão e vigiando o céu, ao primeiro sinal da Lua Nova, o shofar era tocado e todo o povo era avisado de imediato. A trombeta também alertava ao povo da proximidade do Dia da Expiação, que era dia de juízo onde se exigia preparação e solenidade. A Festa das Trombetas era um dia de descanso e consagração, representado pelas ofertas queimadas oferecidas a Deus neste dia. Sua representação profética se dá no anúncio da proximidade do grande Dia da Expiação, claramente estampado na Primeira Mensagem Angélica: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo” (Apoc. 14:7). O toque do shofar simboliza, primeiro, a provisão de Deus. Conforme Gn 22:13, foi justamente um carneiro preso pelos chifres num arbusto que Deus proveu para morrer no lugar de Isaque, filho de Abraão. Esta provisão levou Abraão a chamar aquele lugar de Javé-Jireh.  Todas as vezes que se toca um shofar, anuncia-se a bondade de Deus, que proveu Jesus Cristo para morrer em nosso lugar. Em segundo lugar, simboliza o socorro sobrenatural de Deus. Em Nm 10:9, o Senhor determinou: Quando em sua terra vocês entrarem em guerra contra um adversário que os esteja oprimindo, toque os shofares; e o Senhor, o Deus de vocês, se lembrará de vocês e os libertará dos seus inimigos.  O verso 10 deste mesmo texto acrescenta a necessidade de tocar shofares também nas festas e celebrações a Deus. Além disto, o toque do shofar também anuncia a volta do Messias, Jesus Cristo. Basta observar a revelação dada pelo Senhor em Mt 24:31, onde Ele anuncia que no dia da Sua volta triunfal, os anjos tocarão shofares.  O apóstolo Paulo, ao ensinar os tessalonicenses acerca da volta de Cristo, avisou que shofares celestiais anunciarão o exato instante do retorno do Senhor (I Ts 4:16). No 10o. dia após a Festa das Trombetas ocorre o dia do Yom Kipur, o dia do perdão, ou Dia da Expiação (Lv 23:26 ). No 15o dia deste mesmo mês, é a vez da última das sete festas bíblicas, a Festa dos Tabernáculos (Lv 23:33). As Escrituras falam-nos de um tempo em que Israel será reunido na sua Terra através do toque de “uma grande trombeta” – Isaías 27:13 – e, na Nova Aliança, o apóstolo Paulo explica este mistério numa altura em que todos os crentes serão reunidos ao Messias – 1 Coríntios 15:51, 52; 1 Tessalonicenses 4:16-18. E porque nenhum de nós sabe o exato tempo deste “soprar da trombeta”, a Festa das Trombetas deve motivar-nos à preparação e ao serviço.

6) O Dia da Expiação (Lv 23:26-32; Nm 29:8) Acontecia no décimo dia do sétimo mês. que se segue após 10 dias da Festa das Trombetas é, segundo a tradição judaica o dia estabelecido para que cada judeu acerte as suas contas com Deus.” Este era biblicamente o dia em que Israel se deveria reconciliar com Deus como nação serva do Senhor – Levítico 16, 23:26-32.  Profeticamente, esta Festa aponta para o tempo em que Israel como nação será reunida ao Messias Jesus. No final do tempo da Grande Tribulação, Israel como nação olhará para o Messias “Eu, a Quem trespassaram”, e “chorarão por Ele como aquele que chora pelo primogênito” – Zacarias 12:10. Nesse Dia Israel receberá a “remoção do pecado e da impureza” – Zacarias 13:1 – será enxertada de novo na sua própria oliveira natural, e então “todo o Israel será salvo” (o remanscente)! – Romanos 11:23-26. O Dia da Expiação recorda-nos que este reajuntamento nacional de Israel está-se aproximando, motivando-nos assim a partilharmos as Boas Novas do Messias “primeiramente ao judeu e também ao gentio” – Romanos 1:16.

7) A Festa dos Tabernáculos (Cabanas) (Lv 23:33-43; Nm 29:38) Este festival da colheita de Outono é chamado de”cabanas”, porque Deus mandou que Israel vivesse todos estes dias de Festa em cabanas, de forma a lembrarem o tempo passado no deserto e como só o Senhor é a nossa proteção e segurança. Da mesma forma que eles tabernacularam no Deserto, e no meio deles estava a Tenda de Deus (Tabernáculo) , o Messias veio e tabernaculou entre os homens. Depois de sua morte e ressurreição,  Ele passou a tabernacular dentro de nós, seus templos terrenos, edificados por Ele mesmo, através do Espirito Santo. Esta Festa é também chamada de “Festa da recolha” – Êxodo 23:16. Esta Festa é hoje celebrada como o festival do fim da colheita, acompanhada de grande alegria na provisão de Deus para o Seu povo. Zacarias profetizou que as nações serão um dia “recolhidas” ao Messias. Um dia, todas as nações sobreviventes que atacaram Israel irão honrar o Rei dos reis, o Messias de Israel, ao celebrarem a Festa dos Tabernáculos todos os anos em Jerusalém – Zacarias 14:16-18. Vemos este sétimo mês apontando para o tempo em que Deus irá completar o Seu plano redentor, reunindo o Corpo do Messias (Festa das Trombetas), ajuntando a nação de Israel (Dia da Expiação), e juntando para Si todas as nações (Festa dos Tabernáculos).

“E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.” (Apocalipse 21:3)

Segue mais uma ilustração das Festas em seus Tempos Determinados, profeticamente representada no Candelabro (Menorah):

Tempos determinados - festas biblicas palavra

Tempos determinados (Moed) – Bibliart – Tales Ramiro

👉  Será feita a continuidade deste estudo,  desenvolvido em postagens futuras. Esperamos que tenha lhe sido edificante, tanto como foi para a nossa equipe!

 

Créditos dos Videos reservados a:
Israel Leães Fontoura da Silva
Canal Facebook: O Reino de Deus
Youtube: O Reino de Deus 
Instagram: @israelfontouradasilva

 👉 Você pode acessar o canal do Israel no Youtube para conferir outros estudos dele relacionados e mencionados nos vídeos acima e enriquecer seu conhecimento. Se inscreva no canal dele e não esqueça de curtir os vídeos.

📩👨‍🏫📚  Gostou do estudo? Então medite sobre o assunto; ore pela vida do irmão Israel Fontoura e compartilhe estudo com seus amigos e irmãos na fé! Vamos crescer no conhecimento e na graça de Deus. Espalhe as boas novas, anuncie a Cristo e as profecias! Tem muita gente precisando despertar e conhecer as verdades bíblicas!!

Preparemo-nos, amigos! Em breve soará a “última trombeta” para reunir o Seu povo! A paz do SENHOR seja com todos. JESUS VEM!

Equipe  A Última Trombeta

 

Outras Fontes de Pesquisa Textuais:

Anúncios

Um comentário em “O Ciclo Das Festas do SENHOR – Parte1

  1. Pingback: As Duas Casas de Israel – PARTE 1 | A Última Trombeta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Postagens no Instagram

Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou o coração do homem, o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. (1 Coríntios 2:9) Que consolo extraordinário ler estas palavras proferidas pelo apóstolo Paulo! Com todas as lutas que ele passou na vida, nada pode diminuir a alegria da salvação. Paulo viu o outro lado, o mundo espiritual, o paraíso, a vida eterna. A sua experiência foi tão real que ele não sabia dizer se a experimentou no corpo ou somente no espírito. Nessa jornada extraordinária, ele nos encoraja ao afirmar que Deus tem planos maravilhosos para nós após a morte; algo que literalmente vai tirar o nosso fôlego! Quando penso nisso, percebo o quão medíocre é viver a vida terrena como se ela fosse tudo o que teremos adiante de nós. Se entendermos que o tempo presente é somente uma preparação para a vida eterna com Deus, não nos tornaremos alienados para esta vida. Muito pelo contrário, ao termos a convicção da eternidade, viveremos da melhor maneira possível; com dignidade, com intensidade, com propósito, com paixão, com esperança, com força, com resiliência, qualidades estas que encontramos na vida do apóstolo Paulo depois que experimentou algumas migalhas do grande banquete que nos espera. Por isso, cada dia de nossas vidas importa. Nossos dons, nossas oportunidades, nossos sonhos, nossas dificuldades, tudo está ligado ao propósito de Deus para nós nesta vida! Quando passamos por perdas temporárias ou definitivas; quando nos encontramos perdidos sem compreender os caminhos para os quais Deus nos direciona; quando encontramos desertos que se interpõem à nossa terra prometida, não devemos nos esquecer: a mão invisível de Deus está por trás de tudo, conduzindo-nos para o nosso destino e se valendo do tempo para nos preparar para a eternidade; tirando o melhor das nossas limitações, para que nos recompense no tempo da plenitude. Eu já tenho saudade desse tempo que nunca vivi. Mas, a exemplo do apóstolo Paulo, que mesmo desejando muito partir e tendo a plena consciência da própria importância na Terra, entendo que preciso viver com intensidade e propósito os dias que o Senhor me dá nessa terra. Lamartine Posella
⚠️ ORAÇÃO - REGIÃO CENTRO-OESTE #ClamorPeloBrasil 😇🙌 PAI DE AMOR, choramos diante de ti pedindo o teu perdão pelos nossos muitos pecados que tem nos afastado de Ti. Que teu Braço forte se estenda mais uma vez operando salvação aqui neste lugar. Abençoa a região Centro-Oeste com poder, operando maravilhas no meio da igreja redimida. Todo nosso orgulho, nossas idolatrias, que colocamos entre Deus e nós mesmos, nossas invejas, imoralidades sexuais, roubos, inimizades, contendas, violência, desobediência, toda sorte de pecados ocultos; não queremos mais ter corações rebeldes e hipócritas. Te pedimos restauração e purificação dos púlpitos das igrejas, para que todos se convertam verdadeiramente e chorem em arrependimento. Que haja um novo caminhar, um profundo temor e e que todos possam voltar as escrituras para observância e obediência em amor. Abençoa teus filhos colocando em nossas bocas as Palavras de salvação para serem anunciadas em alta voz pelas ruas e casas das nossas cidades. Prepara nossa gente para o momento final, purifica tua igreja para subir para os céus!! Que em todos os estados desta região haja um mover maravilhoso do Senhor tornando novas todas as coisas, que teus profetas e atalaias, ouvindo tua voz, a anunciem sem temer o homem, mas temendo somente ao Senhor. Que toda essa região experimente o avivamento, uma santidade gerada pelo agir do teu Espirito. Salva vidas, leve cura e alegria a esse povo. Abençoa as fronteiras do Brasil, guarda nossa gente e sobretudo faça a tua vontade sobre nosso povo. Abre as portas do céus, e abençoa conforme a tua infinita graça. Salva o Brasil em nome de Jesus, amém. 📖"E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus." Neemias 1:4 #Oração #Jejum #Clamor #Intercessão #Brasil #RegiãoCentroOeste #Arrependimento #MandamentosdeDeus
⚠️ ORAÇÃO - REGIÃO NORDESTE #ClamorPeloBrasil 😇🙌 PAI BENDITO, perdoa os nossos pecados; sabemos que temos sido falhos e muitas vezes rebeldes a voz do teu Espírito. Te pedimos hoje pela região Nordeste do Brasil, para que sobre cada estado a restauração e a salvação chegue aos corações aflitos e necessitados de ti. Da-nos a unção do Espírito Santo para resplandecer e influenciar a sociedade local, que o teu povo que ja foi lavado e remido possa prosseguir testemunhando de forma maravilhosa o teu agir para que muitos venham a ti pelo testemunho deles. Santifica tua igreja. Pedimos que abençoe o trabalho de missões feito nos estados para que tua Palavra seja pregada a todos os moradores para que se arrependam e creiam no evangelho. Coloca temor no coração de todas as autoridades constituídas. Repreende a violência, os abusos, a corrupção, as imoralidades, a violência, a destruição das famílias, detenha a quebra dos valores morais . Que em todos os estados desta região haja um remanescente fiel a ti, ouvindo tua voz e sendo atalaia nas cidades e localidades de interior. Aviva tua obra no Nordeste do Brasil. Salva vidas, leve cura e alegria a esse povo. Abre as portas do céus, e abençoa conforme a tua infinita graça. Se revele aos corações que tem te buscado com diligência e obediência, que venha sobre as pessoas profundo temor para que todos te reconheçam como único Senhor e Salvador. Em nome de Jesus, amém. 📖"E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus." Neemias 1:4 #Oração #Jejum #Clamor #Intercessão #Brasil #RegiãoNordeste #Arrependimento #MandamentosdeDeus #SemanaDeClamor __________________________
João 3:16😊
Anúncios

Visitantes

Map

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 106.188 outros seguidores

Follow A Última Trombeta on WordPress.com

Estatísticas do blog

  • 2,957,732 cliques

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: