A Última Trombeta

Jesus está voltando!

Série: O ANTICRISTO parte 5

O ANTICRISTO PARTE 5 – PERSEGUIÇÃO

(JÁ LEU A PARTE 4?)

Sem dúvida que, durante a leitura deste livro, muitos cristãos devem estar pensando: “Mas, e quanto ao arrebatamento? Todos esses horrores não poderão acontecer aos cristãos. Eles já terão sido levados, quando o tempo de todas essas coisas chegar. Portanto, nós não temos que nos preocupar com elas”.

Bem, que Deus abençoe, meu irmão ou irmã, e que isso aconteça exatamente como você diz. Mas, se não acontecer, então você pode encontrar-se numa situação muito difícil, sem ter feito qualquer preparo.

Na verdade, a Bíblia é muito específica sobre o tempo daquilo que é denominado de “arrebatamento”. Não há qualquer mistério, de fato. A Palavra de Deus não deixa qualquer espaço para dúvidas. O segredo aqui tem a ver com uma trombeta – uma trombeta bem específica chamada a “última trombeta”. Quando esta última trombeta soar, “…os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados” (1 Co 15:52).

Esta é a mesma trombeta que é encontrada novamente em 1 Tessalonicenses 4:16,17, onde lemos: “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.

Então, essa “última trombeta” é o sinal para o arrebatamento (1 Co 15:52). Isso é um fato seguro e fácil de se entender. Se não houver a última trombeta, não há arrebatamento.

Mas quando ocorrerá esta trombeta final? Por definição, deve ser: 1) a mesma que a sétima trombeta, que soa quase ao final da tribulação (Ap 10:7); ou 2) uma “última trombeta” mais tardia, que soa tão logo termine a tribulação.

Isto é porque, para que a palavra “última” tenha algum significado aqui, ela não pode vir antes das outras trombetas da tribulação. Ela precisa vir mais tarde.

Apoiando a ideia de uma “última” trombeta mais tardia depois da tribulação, nós lemos: “Logo em seguida à tribulação daqueles dias… ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunião os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mt 24:29-31). Portanto, o arrebatamento precisa acontecer literalmente “logo em seguida” da tribulação, exatamente como diz a Palavra de Deus.

Alguns professores da Bíblia têm feito uma ginástica fantástica para tentar contrapor essa verdade óbvia. Estranhamente, para eles, os “eleitos” mencionados acima não são mais os crentes (quais são chamados de “eleitos” em várias outras partes do Novo Testamento, veja: Mt 24:24; Lc 18:7; Rm 8:33; Cl 3:12; Tt 1:1; 1 Pe 1:2,) mas eles imaginam que são os judeus – uma interpretação que carece de suporte bíblico.

Em seguida, para eles, essa trombeta se torna meramente parte de alguma festa de Israel e é dissociada das outras trombetas dos evangelhos e do Apocalipse, anulando, desta forma, a “última trombeta” bíblica que se aplica aqui. Esses argumentos são traiçoeiros e confusos. Não é necessário dizer que eles convencerão somente aqueles que quiserem ser convencidos.

Um grande argumento que alguns professores usam para debater a possibilidade dos cristãos experimentarem a tribulação aparece sob essa forma: “Durante o período da tribulação, Deus derramará a Sua ira. Mas Ele nunca derramaria a Sua ira sobre os Seus próprios filhos”. Bem, vamos pensar sobre isso por um minuto. Deus não poderia julgar os injustos e, enquanto isto, também proteger o Seu próprio povo, mesmo os Seus filhos estando ainda na terra?

Quando os julgamentos de Deus foram executados sobre a terra do Egito, Deus protegeu o Seu povo que vivia lá de algumas das pragas (Ex 8:22).

Também, antes de abrir o sétimo selo, quando os julgamentos de Deus começarem a cair duramente sobre a terra, alguns servos de Deus serão selados em suas testas (Ap 7:3). É óbvio, a partir do contexto, que eles serão selados de tal forma que os julgamentos que virão sobre os outros não os atingarão.

Se esses servos são somente os judeus ou simbolizam os cristãos, não interessa realmente. O fato é que Deus é capaz e está protegendo o Seu povo em meio aos Seus julgamentos. Portanto, não é necessário que Ele retire rapidamente os Seus filhos da terra, antes que os Seus julgamentos venham.

Quando era um jovem cristão, eu me lembro de ter assistido um filme sobre o fim dos tempos. Era um filme sobre a tribulação. No início do filme, antes que a verdadeira ação tivesse começado, um professor de Bíblia entrou em cena para explicar que nenhum cristão estaria na tribulação, porque Deus não permitiria que os Seus filhos sofressem. Então eles prosseguiram com o filme sobre alguns filhos de Deus convertidos e sofrendo em meio à tribulação.

A única diferença entre aqueles que sofreram e aqueles que não sofreram foi que aqueles que sofreram foram bastante infelizes por receberem a Cristo depois do arrebatamento. Evidentemente, alguém pensou que Deus amará menos aqueles filhos e, dessa forma, permitirá que eles sofram aquilo que os outros não sofreram. Este tipo de pensamento é completamente ilógico.

O argumento de que Deus nunca deixaria os filhos Dele sofrer, não é lógico. Por exemplo, não é possível que alguns crentes sofram no futuro mais do que muitos cristãos já sofreram nas mãos de seus inimigos. Inúmeros crentes já foram torturados de todas as formas concebíveis, desde os primeiros dias da igreja até agora. Deus permitiu que eles sofressem e sofressem intensamente.

No entanto, você pode estar seguro de que Deus amou estas pessoas. Por favor, não se deixe enganar por aqueles que estão pregando “paz e segurança” (1 Ts 5:3).

A minha impressão é que muitos cristãos realmente não querem ouvir esta mensagem. Eles não querem ser informados sobre algo que possa interromper as suas vidas prósperas e fáceis. Eles gostariam de fechar os seus olhos e ouvidos, de modo que nada pudesse entrar e os desafiar a mudar o seu relacionamento com o Senhor, o seu estilo de vida ou o lugar onde residem.

Muitos estão preocupados apenas com paz e segurança. Qualquer coisa que interrompa isso é rejeitada e descartada. No entanto, é precisamente num tempo de aparente paz e segurança que todas estas coisas começarão a acontecer. Além disso, elas acontecerão subitamente (1 Ts 5:3).

Se nós somos avisados antecipadamente, então nós também podemos estar preparados. Essa prontidão precisa envolver um preparo tanto espiritual quanto físico.

“PETRÓLEO POR CRISTÃOS”

Talvez você se lembre do escandaloso “Programa de Petróleo por Comida”, feito por Saddam Hussein e administrado pelas Nações Unidas. Bem, pode ser que o Anticristo inicie algo similar. Eu o chamo “Programa de Petróleo por Cristãos”.

Uma vez que ele consegue controle e/ou influência sobre as nações, ele poderá dizer às nações alguma coisa como: “Vocês entregam aqueles que não querem adorar à imagem e obterão a sua cota mensal de petróleo. Se vocês não os entregarem, vivos ou mortos, vocês não receberão petróleo”.

Isso então faria com que o governo de cada nação se tornasse responsável por reunir e entregar à morte qualquer pessoa que resistisse a essa nova fé. Sem dúvida, um grande número dessas pessoas seriam cristãs.

Veja bem, o Anticristo não terá que invadir o seu país. Ele não terá que enviar os seus exércitos para apanhá-lo onde quer que você esteja. Ele será capaz de simplesmente pressionar o seu governo a fazer tudo isso por ele. Cada governo, então, terá que usar quaisquer meios de que disponha para cumprir a vontade do Anticristo, de tal modo que possa obter o petróleo de que necessita para fazer as coisas funcionar.

Naturalmente, quanto mais desenvolvido for o país, mais eficientes serão os oficiais em encontrar e entregar os cristãos. As nações do “primeiro mundo” terão muitos aparelhos e técnicas sofisticadas para desenvolver este trabalho.

Pode ser que, como parte desse programa, o Anticristo possa designar cotas para vários governos. Adolph Hitler usou esse método. Ele designou para cada uma das áreas sob o seu controle uma cota de judeus a serem apanhados. Ele dava aos governos locais um limite de tempo para procurarem e entregarem certo número.

Sem dúvida, ele tinha certos informantes e oficiais que lhe davam uma ideia de qual deveria ser a cota. Esse sistema poderia funcionar muito bem para o Anticristo.

PROVOCANDO ÓDIO

Inicialmente é provável que, nos países onde os cristãos são numerosos, haja uma firme resistência a tal ação. Tais cristãos poderiam se pronunciar e manifestar, marchando e protestando contra a religião e os programas do Anticristo, contra fazer concessões e, é claro, contra ser negociados em troca de petróleo.

Mas, sem petróleo, as economias desses países começariam a sofrer. Os não cristãos logo começariam a sentir o impacto. Quando a falta de combustível começasse a atingir suas vidas, isto é, seu trabalho, sua prosperidade e até mesmo o sustento de suas famílias, eles começariam a odiar qualquer pessoa que se colocasse no caminho deles. Eles também iriam começar a se manifestar e protestar. Eles insistiriam para que seus governos fizessem qualquer coisa necessária para restaurar o status quo.

Se houvesse alguns cristãos manifestantes que se opusessem à rendição do seu governo, então, estes seriam culpados por qualquer falta de petróleo.

Quando as pessoas do mundo começassem a sofrer, porque uns poucos cristãos não estariam colaborando com o programa, então, os crentes se tornariam um alvo de ira. Qualquer pessoa que se colocasse no caminho das pessoas, de modo a impedir o seu normal e próspero estilo de vida, tornar-se-ia dispensável.

Naturalmente, esse sentimento levará algum tempo para crescer. Essas coisas não acontecerão da noite para o dia. Mas, quando a escolha se torna entre a sobrevivência individual e aqueles “religiosos resistentes”, que são simplesmente teimosos demais para se curvar um pouco ou ceder, bem, quem sabe o que poderá acontecer?

Além do mais, o príncipe deste mundo, Satanás, dará suporte a esse esquema com todo o seu poder. Assim, à medida que a pressão crescer, devido a um colapso na economia, desemprego e até mesmo morte por falta de alimentos, os pensamentos e sentimentos de muitas pessoas vão mudar. Elas vão se virar contra aqueles que as estão impedindo de obter aquilo que querem e precisam. A natureza pecaminosa e decaída daquelas pessoas começará a se revelar.

Em breve, a traição se tornará comum. Pessoas começarão a delatar outras que suspeitam não estarem cooperando. Depois de algum tempo, elas entregarão os seus amigos e até mesmo os seus familiares ao Governo.

Nós lemos: “Então sereis atribulados e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome. Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros” (Mt 24:9, 10). Lemos também: “Um irmão entregará à morte outro irmão, e o pai ao filho; filhos haverá que se levantarão contra os progenitores e os matarão. Sereis odiados de todos por causa do meu nome” (Mc 13:12, 13a).

Durante esse tempo, qualquer um que se colocar no caminho dessas pessoas, impedindo que elas recebam o petróleo (e, consequentemente, sua sobrevivência e conforto), será odiado, perseguido e traído. Tais pessoas serão torturadas e mortas. O ódio que muitas pessoas do mundo têm para com Deus escondido dentro de si mesmas se manifestará contra pessoas como você.

Se você estiver impedindo o caminho daquilo que elas querem e acreditam que precisam, elas o matarão. Os seus amigos o entregarão. Até mesmo outros cristãos não serão dignos de confiança.

Esta será a hora de teste para muitos cristãos. Milhões serão mortos. O Espírito Santo que agora está refreando essa torrente de perversidade será removido do caminho (2 Ts 2:7). A proteção de Deus que nós desfrutamos também será bem menor. Ao Anticristo foi “…dado [permitido por Deus] também que pelejasse contra os santos e os vencesse” (Ap 13:7). Esse será um meio do nosso Senhor testar e purificar muitos crentes que hoje são mornos e têm pouco comprometimento com Ele e Sua obra. Esta será a hora da decisão, revelando se nós realmente amamos a Jesus, ou não.

Esses serão certamente “tempos de grande perigo”. Será um tempo em que os eventos na Alemanha nazista e na União Soviética comunista parecerão apenas um ensaio geral. Será um período de tremenda agitação e confusão numa escala global. Muitas pessoas simplesmente não saberão que direção tomar.

Elas estarão sob uma pressão tremenda. Haverá pressão para se conformarem, pressão para alimentarem suas famílias, pressão para fazerem aquilo que outros cristãos estão fazendo (ou não estão fazendo). Essas pressões irão gerar muitos pensamentos, emoções, opiniões e direções conflitantes. Sem dúvida, outros que também estiverem em confusão apresentarão suas perspectivas a respeito, bem como suas ideias.

É impossível predizer ou imaginar todas as coisas diferentes que acontecerão. O que o Anticristo fará, como as pessoas reagirão, como cada diferente nação poderá tentar implementar as exigências do Anticristo etc., todas essas coisas estão bem distantes do alcance da nossa especulação no momento.

O que tem sido escrito aqui não passa de uma tênue tentativa de oferecer uma impressão sobre como aqueles tempos hão de ser. Mas nós sabemos certas coisas com certeza. Esse será um tempo de “grande tribulação”, confusão e dificuldades. Será um tempo de teste para os crentes. Todos os cristãos terão que experimentar o toque de intimidade com Jesus por si mesmos e aprender a seguí-Lo.

Por favor, não cometa o equívoco de pensar que a palavra “tribulação” aqui se refere aos julgamentos que Deus derramará sobre o mundo. Esse não é o significado bíblico da palavra. Ao invés disso, ela se refere ao que acontecerá aos crentes.

Lembre-se, nós lemos que “… sereis atribulados, e VOS matarão” (Mt 24:9). Perceba você, “julgamento” é para os incrédulos, mas a palavra “tribulação” se refere ao que acontecerá aos cristãos, mediante as ações do Anticristo e outras pessoas do mundo. Você, se estiver vivo, passará por essa tribulação.

FALSOS PROFETAS, FALSOS CRISTOS

Especificamente, nesse tempo crítico, quando tudo será agitação, desordem e confusão, muitos indivíduos se levantarão reivindicando ter uma palavra vinda do Senhor. Eles são chamados por Jesus de “falsos profetas” (Mt 24:24). Incrivelmente, eles estarão realizando “grandes sinais e maravilhas” para provar que suas mensagens vêm de Deus. É possível que muitos desses reivindiquem ser manifestações dos antigos profetas ou bem conhecidos homens de Deus.

As palavras e ênfases de uns falsos profetas podem ser diferentes das dos outros, mas eles terão todos algo em comum. Eles estarão tentando promover a si mesmos. Eles serão os que, ao final, lucrarão com suas “revelações”. Pode ser que eles obtenham prestígio, seguidores, dinheiro ou alguma outra coisa. Mas o motivo deles não será servir humildemente a Deus e aos outros. Pelo contrário, eles estarão, na verdade, servindo a si mesmos.

Além do mais, também nessa hora crucial, falsos cristos proliferarão. Devido à pressão sobre os crentes, para encontrarem uma resposta para seus dilemas, a segunda vinda de Jesus parecerá ser a solução fundamental. Assim, muitos cristos aparecerão em muitas diferentes partes do globo.

Rumores da aparição destes falsos cristos se espalharão como fogo. Onde eles aparecerão e quem serão se tornará o tópico de muitas conversas nos círculos cristãos. Muitos irão perder tempo e dinheiro procurando por esses falsos messias, em desespero, procurando por ajuda e direção.

Nós lemos: “Então, se alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! Ou: Ei-lo ali! Não acrediteis; porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os eleitos. Vede que vo-lo tenho predito. Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto!, não saiais. Ou: Ei-lo no interior da casa! Não acrediteis. Porque assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente, assim há de ser a vinda do Filho do homem” (Mt 24:23-27).Vemos, então, que nesse tempo haverá muitas vozes conflitantes. Muitos irão reivindicar possuir, ou mesmo ser, a resposta. Como os cristãos saberão o que fazer em tal hora? A resposta é que nós temos que cultivar uma intimidade com Jesus, hoje.

Não espere até mais tarde. Não coloque a sua confiança em algum líder humano para tomar as decisões por você. Cada crente, neste exato momento que se chama “hoje”, precisa conhecer o seu Salvador de forma pessoal e íntima. É somente por seguir as Suas instruções que nós iremos sobreviver ao que está por vir ou glorificá-Lo em nossa morte.

Este estudo é parte integrante do livro Anticristo. Baixe gratuitamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Visitantes

Map

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se aos outros seguidores de 110.860

Follow A Última Trombeta on WordPress.com

Estatísticas do blog

  • 3.886.165 cliques

Siga-me no Twitter

%d blogueiros gostam disto: