PODERIA UM CAPÍTULO CONTER A SALVAÇÃO? (PARTE 2)

romanos-1-parte-ii

Queremos só frisar antes de começar a escrever essa segunda parte de Romanos 1 que colocaremos alguns versículos aqui fora desse capítulo, mas esses versículos servirão apenas para reforçar o que está sendo tratado aqui. Porém todo o assunto aqui tratado foi retirado com base em uma análise ao 1° capítulo de Romanos, e como o outro artigo [“Poderia um capítulo conter a salvação? – Parte I”] o intuito é através de ambas as partes (I e II) demonstrar que podemos sim mostrar ao pecador todo o plano de salvação. Podemos pegar apenas esse capítulo como chave para conhecer ao D-us de Avraham, Yistz’chak e Ya’akov.

Na primeira parte vimos como D-us fez para resolver o problema do mal do ser humano, e de como Ele designou algumas peças chaves para anunciar aos que ainda não conhecem ou não se atentam que são inimigos de D-us por meio do pecado. Essa peças-chave eram denominados Apóstolos [Emissários] que andaram com o Cristo (Messias) enviado, ou que receberam o seu chamamento após Yeshua ter ressuscitado e subido aos céus, como foi o caso de Sha’ul

[Leia aqui a parte I desse artigo]

Nessa segunda parte vamos entender o porquê as pessoas precisam conhecer sobre essa mensagem diplomática mencionada na primeira parte do artigo, e entender qual é o risco de não aceitar essa mensagem, e porque D-us ainda deseja ver mensageiros que continuem a propagar essa mensagem que começou com os apóstolos.

Dando prosseguimento, encontramos a seguinte explanação a partir do versículo 18:

A ira de D-us foi revelada (apokalye – apokalypse) para toda a humanidade. A palavra “revelar” aqui está ligada ao sentido de tirar o véu, desvendar para Israel e para todas as nações quem era Aquele D-us que eles diziam prestar culto e servir; e isso foi visto aos olhos de todos os que estavam presentes na crucificação e ainda foi lavrado e selado pelo Espírito Santo nas escrituras. Quando o véu se rasgou de alto abaixo, o Eterno abriu para toda a humanidade a Sua majestosa obra executada em prol do pecador;  ao mesmo tempo, revelou a Sua santa Ira. E contra o que, ou contra quem se aplica essa ira? O próprio capítulo explica de maneira convicta de que essa ira foi desvendada aos olhos e ouvidos humanos por causa da prática desenfreada de todo o tipo de perversidade e impiedade. Continuar lendo

Uma Estranha Santidade

UMA ESTRANHA SANTIDADE
[Por Markus DaSilva, Th.D. (Semeadores da Palavra)]

Vivemos em cavernas. Sim, essa é a acusação que frequentemente recebemos dos inimigos da santidade. Segundo eles, os perdidos não podem ouvir de nós o evangelho porque vivemos separados do mundo. Falam que os descrentes fogem da nossa presença porque somos diferentes. Acreditam que um ministério, para ser eficaz, precisa consistir de pessoas que vivem entre os mundanos, fazendo aquilo que eles fazem. Acreditam que os ímpios precisam se identificar com os cristãos, se sentir à vontade na casa de Deus.

santidade

É exatamente baseado nesta filosofia que cada vez mais se torna impossível distinguir os filhos da luz dos filhos das trevas (Mt 13:24-30). Possuem um linguajar semelhante, um vestuário semelhante; participam dos mesmos entretenimentos, dos mesmos prazeres; seguem em uma mesma direção, sonham os mesmos sonhos (Ef 4:17-18). É pensando assim, que em muitas igrejas, alguém que não está acostumado pode ficar na dúvida se entrou em uma casa de oração ou em um salão de festas.

Mas a quem estes cristãos estão enganando? Certamente que não a Deus! Enganam a si mesmos, mas não é um engano sem malícia, pois, conhecem a Palavra (Jo 9:41). Conhecem, mas não obedecem. Para justificar o amor que têm por este mundo, criaram uma estranha versão de santidade. Falam de santidade, escrevem nas camisetas, choram, levantam as mãos e cantam louvores falando dela, mas não a vivem (Mt 7:21). Defendem uma santidade sem separação: um paradoxo.

Qualquer estudante da bíblia sabe que ser santo significa ser separado, colocado à parte, consagrado (2Co 6:17). Quando se aproximava o dia que Jesus ia nos deixar fisicamente, ele orou ao Pai por mim e por você. Preocupou-se com a nossa situação neste mundo contaminado pelo mal. Gostaria que estivéssemos com ele no céu, mas reconheceu que, assim como ele, o nosso tempo neste mundo deve ser cumprido: “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal” (Jo 17:15). Aí está a cruz do verdadeiro seguidor de Cristo: viver no mundo, sem fazer parte dele (Jo 17:16). Como isso é possível? Como podemos nos manter distantes daquilo que tanto nos atrai? Através da verdade: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (Jo 17:17). Somos santificados, ou separados do mundo, pela verdade que encontramos na Palavra de Deus; verdade não apenas lida, mas obedecida (Tg 1:22). Quem não está disposto a obedecer à palavra de Cristo não o ama e não conhece a genuína santidade.

tumblr_static_tumblr_static_7ro7j0yvfds0okckkcow4c4gg_640

Antes que alguém o diga, deixe-me esclarecer um ponto: sim, Jesus visitou e comeu com os pecadores, mas nunca ensinou os seus discípulos a serem como eles. Os pecadores não eram atraídos a Cristo porque se identificavam com ele, como se Jesus fosse igual a eles, mas sim porque viam nele o caminho da restauração. Procuravam alívio; desejavam descanso. A diferença, e não a semelhança, os fascinava (Mt 7:28-29; Jo 7:46). Espero te ver no céu. —Markus DaSilva.

Florida, USA. January, 2017
© Copyright 2012-2017 US Library of Congress by Markus DaSilva – All rights reserved worldwide.

TEOLOGIA DO COACHING – A SUBSTITUTA DA TEOLOGIA DA PROSPERIDADE

coaching

A teologia da prosperidade já apanhou demais. Seus grandes ícones já foram expostos e desmascarados. Infelizmente ela ainda faz vítimas pela falta de conhecimento do povo, principalmente nas periferias, público alvo desse tipo de “teólogos”. Felizmente ela está cada vez mais marginalizada e ficando limitada a determinadas igrejas. Um bom número de crentes tem um grande repúdio por esse tipo de abordagem “evangélica”. Pois bem, eis que temos uma substituta para a tal da teologia da prosperidade (TP). Eu a chamo de teologia do coaching (TC). Usareis as siglas a partir de agora.

A Cultura do Coaching

Sou formado em administração. Cursei quatro anos de faculdade e fiz outros cursos na área. Na época o coaching não era tão conhecido como hoje. Sempre valorizei cursos com conteúdos práticos como finanças, marketing e recursos humanos. Nunca fomos ensinados que precisaríamos de pessoas nos acompanhando para ensinar, direcionar, motivar e cobrar. Nós mesmos faríamos isso. Então a cultura do coaching chegou. Vá a uma seção de administração e negócios de uma livraria hoje e você perceberá o que estou dizendo. Nunca me dei bem com ela para ser sincero. E quero explicar a razão usando duas citações do Instituto Brasileiro de Coaching. Primeiro, o que é o coaching?

“Um mix de recursos que utiliza técnicas, ferramentas e conhecimentos de diversas ciências como a administração, gestão de pessoas, psicologia, neurociência, linguagem ericksoniana, recursos humanos, planejamento estratégico, entre outras visando à conquista de grandes e efetivos resultados em qualquer contexto, seja pessoal, profissional, social, familiar, espiritual ou financeiro”

Agora pergunto: como o coaching acontece?

“Conduzido de maneira confidencial, o processo de Coaching é realizado através das chamadas sessões, onde um profissional chamado Coach tem a função de estimular, apoiar e despertar em seu cliente, também conhecido como coachee, o seu potencial infinito para que este conquiste tudo o que deseja”

Continuar lendo

NATAL: Tempo de evangelizar

Nos últimos dias apresentamos na nossa fanpage do facebook o verdadeiro significados dos símbolos usados no Natal, e pudemos aprender como o paganismo que Deus rejeita hoje é tão assíduo dentro dos lares e das igrejas. Não devemos nos amoldar aos padrões desse mundo, conforme nos ensina a Palavra de Deus. Logo, expurgadas das nossas vidas, e das nossas celebrações, os símbolos e práticas pagãs, penso que, a exemplo da chamada “semana santa” em que as Igrejas sempre souberam aproveitar bem para evangelizar, podemos e devemos aproveitar a semana natalina para realizar cultos evangelísticos genuinamente cristãos, e anunciar ao mundo o verdadeiro sentido do nascimento e  vida de Cristo sobre a terra, que poderá até começar com a manjedoura, mas deverá incluir sempre a história da cruz!
Natal sem a cruz não é o verdadeiro natal de Jesus!
Não há mandamento ou instrução alguma na Bíblia para se celebrar o nascimento de Cristo! Somos orientados sim a lembrar da sua morte e ressurreição que nos proporcionou a Vida (I Cor. 11:24-26; Jo. 13:14-17).

Jesus disse: “E assim por causa da vossa tradição invalidastes a palavra de Deus.” (Mateus 15:6). Tenhamos zelo na observância da Palavra de Deus! Não olhemos para trás, mas como bons atalaias anunciemos ao mundo que Cristo em breve vem, e os olhos e esperança do mundo devem estar fitos nos céus, com uma vida rendida ao evangelho da salvação, e não para a terra e seus prazeres passageiros e maus.

A seguir apresentamos dois videos sobre o assunto! Assista!

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” (Isaías 9:6)

 

Para ouvir uma mensagem mais abrangente sobre o Natal, acesse o video abaixo.

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (João 1.14)

PODERIA UM CAPÍTULO CONTER A SALVAÇÃO? (PARTE 1)

slide2

Há uma pergunta interessante que pode ser feita a quem deseja estudar as Sagradas Escrituras:

– Poderia o plano de salvação e o evangelho está inserido em apenas um capítulo da bíblia?

Essa é uma pergunta muito providencial, pois se você pegar qualquer outro livro que foi escrito na face da terra, você nunca conseguirá entender o assunto que será tratado no livro apenas por ler um capítulo, ou jamais um capítulo de um livro seria chave para entendermos um assunto global que abrange todos os tipos de classe, raças, faixas etárias, orientações sexuais, orientações intelectuais, etc., porém isso podemos encontrar na bíblia, e isso a torna o livro mais importante já publicado. Mesmo se uma pessoa pegar a bíblia para estudar apenas como uma obra literária (mesmo que ainda não a considere como palavra de Deus) e estudar diligentemente, tal pessoa encontrará a resposta para todas as questões. Pode até ser que esse (a) não concorde com as respostas ali contidas, mas certamente essa pessoa encontrará uma resposta ali e será a resposta correta. Continuar lendo

A CAUSA DO ESFRIAMENTO DO AMOR PARA O TEMPO DO FIM

amor-se-esfriando-1

“Aparecerão vários falsos profetas e enganarão muitas pessoas; e o amor de muitos esfriará por causa do crescente distanciamento da Torah Mattityahu ² [Mateus] 24:11-12

“Queridos amigos, não confiem em qualquer espírito. Pelo contrário, testem os espíritos para ver se procedem de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundoquem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” 1 Yochanan ² [1 João] 4:1-8

“Mas eu tenho isto contra você; você abandonou seu amor inicial. Portanto, lembre-se de onde estava antes de cair, afaste-se deste pecado e faça o que praticava antes! Caso isso não aconteça, virei a você e tirarei sua menorah ¹ do lugar dela – se você não se voltar do seu pecado … Os que tem ouvidos ouçam o que o Espírito diz às comunidades messiânicas. Ao que vencer, darei o direito de comer da Árvore da Vida que está no Gan-Eden de Deus” Revelação [Apocalipse] 2:4-7 Continuar lendo

A BONDADE DE DEUS

bondade

“Falarei da magnificência gloriosa da tua majestade e das tuas obras maravilhosas. E se falará da força dos teus feitos terríveis; e contarei a tua grandeza. Proferirão abundantemente a memória da tua grande bondade, e cantarão a tua justiça. Piedoso e benigno é o Senhor, sofredor e de grande misericórdia. O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obrasSalmos 145:5-9

Existe um atributo de D’us chamado “Bondade” e muitos estão se esquecendo desse maravilhoso atributo, ou ainda, muitos fazem uma leitura errada a respeito do assunto. Atributos de D’us são partes que completam a essência divina. Alguns atributos o Criador compartilhou conosco parte deles quando disse: “façamos o homem à nossa imagem” (Gênesis 1:26). Na criação Ele nos criou contendo uma pequena parte de alguns dos Seus atributos, e somente alguns atributos são divididos com nós, porque há atributos exclusivos dEle e não podem ser compartilhados com qualquer outra criatura, que são: Onisciência, Onipresença, Onipotência, Soberania, Imutabilidade, Poder, Infinitude e Unicidade (Singularidade); já outros atributos Ele transferiu para nós, porém muitas das vezes nós deixamos eles extinguirem da nossa vida e somente uma aproximação com o Criador pode fazer com que esses atributos sejam reverdecidos novamente em nós. E a esses atributos compartilhados, podemos dar o nome de atributos de caráter, pois eles estão intrinsicamente ligados ao caráter, quer seja de D’us, quer seja dos seres humanos. Esses atributos são o amor, a bondade, a longanimidade, a misericórdia, a santidade, a fidelidade, a justiça e a paciência.

Quando pensamos em atributos e comparamos com a fonte de onde saiu (D’us); temos que ter em mente que esse atributo jorra de uma fonte inesgotável, pois cada atributo em D’us é elevado ao infinito; então mesmo que a gente possa provar de alguns desses atributos e ter um pequeno lampejo dos mesmos, jamais poderemos compreendê-los por completo, pois como todos os atributos de D’us são infinitos precisaríamos de dois dos Seus atributos que não são compartilhados – a Onisciência e a Infinitude – pois para compreender algo que é infinito, é necessário uma mente infinita e isso somente Ele possui. Continuar lendo

O DÍZIMO SEGUNDO OS ENSINAMENTOS BÍBLICOS

dizimodosenhor

O tema sobre o dízimo sempre gera polêmica sobre o povo, por causa dos fins que muito das ofertas são destinados. Não é novidade para ninguém quando se diz que grande parte dos dízimos que os fieis entregam como gratidão a D’us, acabam sendo desviado para atender os caprichos de determinados líderes religiosos, ou até mesmo aos caprichos de algumas instituições; mas não podemos generalizar.

Então onde é que estamos errando no quesito dízimos e ofertas? Leia esse texto abaixo escrito por Mário Persona:

Você é zeloso com as coisas que Deus colocou em suas mãos para administrar? Seu dinheiro, por exemplo.

Fala-se muito em ofertarmos a Deus, mas quase nada da necessidade de analisarmos a idoneidade das pessoas que recebem essas ofertas para ver se dão a destinação correta. Temos nas epístolas instruções de ofertas voluntárias destinadas às necessidades de irmãos pobres e dos que trabalham na obra do evangelho. Mas hoje qualquer estelionatário pode abrir uma “igreja” e viajar em jato particular e morar em mansão. Quem paga esse luxo? Aqueles que não foram bons e zelosos mordomos dos bens que o Senhor lhes deu, entregando a estelionatários aquilo que devia ser destinado aos pobres e aos que efetivamente trabalham na obra na simplicidade do exemplo dado por Paulo:

“Não cobicei a prata nem o ouro nem as roupas de ninguém. Vocês mesmos sabem que estas minhas mãos supriram minhas necessidades e as de meus companheiros. Em tudo o que fiz, mostrei-lhes que mediante trabalho árduo devemos ajudar os fracos, lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus, que disse: ‘Há maior felicidade em dar do que em receber’ “. At 20:33-35 Continuar lendo

7-temores-morte-e-doenca2

A MORTE DO FILHO DE EYSHILA E O APRENDIZADO PARA OS CRISTÃOS

Quero comentar aqui um tema triste, mas necessário, e primeiro peço perdão se interpretações errôneas que podem ser tiradas através desse artigo por eu talvez não passar de forma clara a mensagem que pretendo ao escrever essas palavras. Portanto, quero deixar aqui minha consternação aos familiares da cantora Eyshila, e quero que em nome de Jesus os amados (as) irmãos (ãs) não vejam esse artigo como algo oportunista, portanto não utilizarei de nenhuma imagem do rapaz nesse artigo; e quero que entendam que o assunto a ser discorrido é algo extremamente urgente e necessário de ser tratado nas igrejas brasileiras, principalmente nas neopentecostais e no meio gospel, pois não podemos continuar infantis da maneira que estamos como igreja, dado a proximidade da volta gloriosa de Yeshua Ha’Mashiach (Jesus Cristo).

Todos nós, contando de 50 anos atrás até a presente data, fomos erroneamente ensinados em algo que misturou o evangelho genuíno em sua essência com o determinismo, com o positivismo, com o misticismo e com a “” em falsos profetas que profetizam do próprio estômago coisas que vão além dos perfeitos desígnios de um D’us santo em todos os Seus caminhos e vontades. E o que é mais prejudicial é que o mercado gospel atual (cantores e pregadores famosos), tanto como pregadores da prosperidade ou os teólogos portadores de mensagens de autoajuda nos fizeram acreditar de que quando nos tornássemos crentes nada de mal nos acarretaria, seríamos sempre “vitoriosos”, afinal crente não passa por “derrotas” na vida financeira, na saúde, no relacionamento, ou qualquer desejo que brotar no nosso coração, afinal somos filhos do Rei, então basta nós “profetizarmos” e determinar com os nossos lábios e ativar o campo da fé mística, que D’us confirmaria o desejo do nosso coração, mesmo que tal desejo humano passasse por cima da Sua perfeita vontade ou do Seu perfeito agir, somente para atender aos caprichos de alguém, apenas com o abracadabra evangélico: “Eu determino” ou “Eu não aceito isso na minha vida”; como se fossemos nós os que soubesse o que era o melhor e não o D’us Onisciente. E inocentemente ou não, nós proferimos palavras altivas e blasfemas ao nos opor à boa, perfeita e agradável vontade de D’us (Romanos 12:2) Continuar lendo

A Mulher Rixosa

“É melhor morar num canto de telhado do que ter como companheira em casa ampla uma mulher briguenta. É melhor morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e irritadiça.” Provérbios 21:9,19

50297b7ed472a_shutterstockMonstro

Em provérbios encontramos alguns versículos que mencionam a mulher briguenta, em outras versões mulher rixosa, e aconselha nos afastarmos dela.

Mas e quando essa mulher somos nós? O que fazermos? Neste caso precisamos abandonar essa mulher, ‘crucificá-la’, ‘matá-la’ através do poder e da virtude regeneradora do Sangue de Jesus. A única ferramenta capaz de transformar de vez essa mulher ao qual a palavra de Deus aconselha a se afastar. Quando tratamos de separarmos um tempo de oração e leitura da Palavra, Deus vai nos mostrando o que precisamos mudar em nossas vidas.

A mulher briguenta ‘mata’ a sua família dia após dia, mata seu casamento, mata seus filhos e todos os que estão a sua volta. Ela anda de ‘mãos dadas’ com o inimigo, pois não exala os aromas do fruto do Espírito descritos em Gálatas: Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.  Gálatas 5:22 Somente a regeneração feita pelo Espírito Santo pode transformar a triste realidade da mulher rixosa em um novo viver como mulher virtuosa!

Somos as guardiãs dos nossos lares, um dia prestaremos contas a Deus por essa nobre tarefa! Ore a Deus por um novo tempo em sua vida, permitindo que o Senhor trate todas as áreas de seu viver! A sua casa é seu primeiro ministério, onde deve abundar a graça e o fruto de toda a boa obra  que  o Espírito Santo realiza dentro do seu ser!  Agindo assim você verá seu lar florescer e frutificar como o lar da mulher virtuosa!

Shalom!

curta nossa pagina