Uma Estranha Santidade

UMA ESTRANHA SANTIDADE
[Por Markus DaSilva, Th.D. (Semeadores da Palavra)]

Vivemos em cavernas. Sim, essa é a acusação que frequentemente recebemos dos inimigos da santidade. Segundo eles, os perdidos não podem ouvir de nós o evangelho porque vivemos separados do mundo. Falam que os descrentes fogem da nossa presença porque somos diferentes. Acreditam que um ministério, para ser eficaz, precisa consistir de pessoas que vivem entre os mundanos, fazendo aquilo que eles fazem. Acreditam que os ímpios precisam se identificar com os cristãos, se sentir à vontade na casa de Deus.

santidade

É exatamente baseado nesta filosofia que cada vez mais se torna impossível distinguir os filhos da luz dos filhos das trevas (Mt 13:24-30). Possuem um linguajar semelhante, um vestuário semelhante; participam dos mesmos entretenimentos, dos mesmos prazeres; seguem em uma mesma direção, sonham os mesmos sonhos (Ef 4:17-18). É pensando assim, que em muitas igrejas, alguém que não está acostumado pode ficar na dúvida se entrou em uma casa de oração ou em um salão de festas.

Mas a quem estes cristãos estão enganando? Certamente que não a Deus! Enganam a si mesmos, mas não é um engano sem malícia, pois, conhecem a Palavra (Jo 9:41). Conhecem, mas não obedecem. Para justificar o amor que têm por este mundo, criaram uma estranha versão de santidade. Falam de santidade, escrevem nas camisetas, choram, levantam as mãos e cantam louvores falando dela, mas não a vivem (Mt 7:21). Defendem uma santidade sem separação: um paradoxo.

Qualquer estudante da bíblia sabe que ser santo significa ser separado, colocado à parte, consagrado (2Co 6:17). Quando se aproximava o dia que Jesus ia nos deixar fisicamente, ele orou ao Pai por mim e por você. Preocupou-se com a nossa situação neste mundo contaminado pelo mal. Gostaria que estivéssemos com ele no céu, mas reconheceu que, assim como ele, o nosso tempo neste mundo deve ser cumprido: “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal” (Jo 17:15). Aí está a cruz do verdadeiro seguidor de Cristo: viver no mundo, sem fazer parte dele (Jo 17:16). Como isso é possível? Como podemos nos manter distantes daquilo que tanto nos atrai? Através da verdade: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (Jo 17:17). Somos santificados, ou separados do mundo, pela verdade que encontramos na Palavra de Deus; verdade não apenas lida, mas obedecida (Tg 1:22). Quem não está disposto a obedecer à palavra de Cristo não o ama e não conhece a genuína santidade.

tumblr_static_tumblr_static_7ro7j0yvfds0okckkcow4c4gg_640

Antes que alguém o diga, deixe-me esclarecer um ponto: sim, Jesus visitou e comeu com os pecadores, mas nunca ensinou os seus discípulos a serem como eles. Os pecadores não eram atraídos a Cristo porque se identificavam com ele, como se Jesus fosse igual a eles, mas sim porque viam nele o caminho da restauração. Procuravam alívio; desejavam descanso. A diferença, e não a semelhança, os fascinava (Mt 7:28-29; Jo 7:46). Espero te ver no céu. —Markus DaSilva.

Florida, USA. January, 2017
© Copyright 2012-2017 US Library of Congress by Markus DaSilva – All rights reserved worldwide.

Jesus e a cidadania

urna_02

“Tendo eles chegado a Cafarnaum, dirigiram-se a Pedro os que cobravam o imposto das duas dracmas e perguntaram: Não paga o vosso Mestre as duas dracmas?”  (Mt 17:24)

Querido irmão, como cidadão, qual foi o comportamento de Jesus diante desta pergunta? – e qual seria o seu?

Jesus em seu tempo se viu envolvido com a necessidade de exercer sua cidadania, tendo em vista que cidadania é o exercício de direitos e deveres civis e políticos de um cidadão. Ou seja, de alguém habitante de um lugar e participante de seus deveres para com o Estado.

A cidade é administrada com recursos provindos de impostos e contribuições diversas, arrecadadas com o fim de preservação e desenvolvimento local.

Uma sociedade é formada por pessoas de diversas camadas sociais com maturidade cristã e não cristã.

JESUS  E O EXERCÍCIO DA CIDADANIA

Jesus, mesmo como autoridade divina, demonstrou senso político civilmente consciente de sua participação no cenário em que vivia. “Daí a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”(Mt 22:21)  –  Creio que na época de Jesus, sua cidade enfrentava os mesmos problemas que enfrentamos hoje; tais como: deficiência em moradia, falta de segurança, falta de saneamento básico, doenças terminais, criminalidade, alcoolismo, prostituição e analfabetismo, dentre outros.

Vale lembrar que desafios de uma melhor condição de vida, afetam tanto a população crente quanto descrente; talvez seja por este motivo que Jesus reconheceu a validade do imposto cobrado; “dirigiram-se a Pedro os que cobravam o imposto das duas dracmas e perguntaram: Não paga o vosso Mestre as duas dracmas?”  … ainda que Ele mesmo não tivesse obrigação de pagá-lo. (Mt 17:26)

Os cristãos precisam exercer a sua cidadania de modo digno do evangelho. A obra de Deus é marcada pela ordem e pela harmonia que implica também em responsabilidade social. (I Corintios 14:40)

O contexto social político democrático em que vivemos não nos isenta de responsabilidade sobre a necessidade de participação com uma mentalidade cristã; seja na contribuição de impostos ou no voto.

O fato de estarmos voltados à prática da obediência a Deus nos imputa a responsabilidade cívica, com maior consciência que aqueles que não  O conhecem.

Jesus pagou imposto! – e não somente pagou imposto, mas demonstrou claramente que em relação às questões humanas de administração e política no devido exercício de sua autoridade, o cristão deve ter participação consciente, objetiva e decisiva. “Não sabeis que havemos de julgar os próprios anjos? Quanto mais as coisas desta vida!” (I Corintios 6:3)

Ao crente não cabe votar por mera simpatia, troca de favores ou preconceitos. – como cristão deve ser uma  pessoa bem informada e participante, procurando cumprir seu papel, em conformidade com a vontade de Deus, e desde que seu coração deseje agradar a Deus, deve influenciar a sociedade com seus valores, convicções e projetos. – ao votar, o crente institui pessoas que representarão autoridade sobre si.

A bíblia diz que toda autoridade humana é constituída por Deus. “Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas.” (Rm 13:1)

Jesus reconheceu a autoridade de Pilatos como vinda de Deus. -Assim, o voto nos responsabiliza  a uma ação consciente.

Se Jesus estivesse de corpo presente como esteve na época dos evangelhos, há 2000 anos atrás, vivendo este cenário político, consciente de sua obrigação civil, em quem poderíamos pensar que ele votaria? – quais seriam seus critérios, e críticas?  Seu voto seria em  branco ou não?  –

Portanto, devemos participar oportunamente e conscientemente usando o voto não somente como  instrumento de cidadania, mas também de responsabilidade como filhos de Deus no estabelecimento das autoridades que nos representarão na administração terrena dos recursos públicos  e sociais.

Jesus cumpriu seus deveres de cidadão sem abrir mão de seu caráter. Não se vendeu, não mentiu, não se corrompeu. – você também pode fazer o mesmo.

É importante frisar que nenhum candidato é um “Messias” – salvador da pátria! – seja ele crente ou não.

E SENDO CRENTE, é um frágil líder humano, com virtudes e defeitos, e somente fará alguma diferença se puder contar com o respaldo de uma comunidade participativa, … além do mais, é um irmão na fé! – neste contexto, vale as palavras de Paulo: – “Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente  aos  da  família da fé.” (Gál. 6:10)

COMO PROCEDER COM RELAÇÃO À CIDADANIA CRISTÃ?

* Não comprometa votos de sua família em troca de benefícios. Você poderá  se arrepender depois!

* Se prometeu votar em alguém, cumpra!  Mesmo que ele não seja cristão. Não minta para seus candidatos. A mentira não combina com o cristão e desqualifica o crente diante de Deus.

* Não faça campanhas em troca de benefícios materiais, mas sim por causa do caráter  do candidato.

* Procure conhecer cada candidato antes de criticá-lo ou apóia-lo. Se tiver algo negativo contra ele, fale pessoalmente com sua pessoa, nunca na ausência. Se não o conhece, não fale nada sobre ele; e se falar, fale somente o BEM, nunca  fale MAL.

* Procure INDICADORES na vida do candidato. Não vote em promessas. Candidatos que prometem muito, fazem pouco! Procure conhecer os feitos passados do candidato. Eles são os melhores indicadores do que farão se forem eleitos.

* Priorize candidatos Cristãos, a principio quem tem a mente de Cristo, vota em quem tem a mente de Cristo, “e … nós temos a mente de Cristo!” (I Cor. 2:16),

 * Acima de tudo, com oração e discernimento, como cidadãos cristãos, poderemos melhorar  a pátria terrena de modo digno do evangelho.  – Jesus então, respondeu a Pedro: “Para que não os escandalizemos, vai… toma o estáter e paga-lhes por mim e por ti.” (Mt 17:27)

De igual modo, para que não  escandalizemos, exerça sua cidadania  de modo digno do evangelho. Vote com consciência genuinamente cristã.

No amor de Cristo Jesus nosso Senhor.

Fonte: Familia Positiva

Perseguição aos refugiados cristãos pelos muçulmanos cresce na Alemanha


1599

Os incidentes estão sendo deliberadamente minimizados e até acobertados

Seguem destaques do artigo:
* Milhares de cristãos em abrigos para refugiados alemães estão sendo perseguidos por muçulmanos, não raramente pelos seus próprios seguranças, de acordo com o novo relatório da Open Doors.

* “O maior obstáculo à realização do levantamento foi o medo de muitas vítimas de participarem dele. O temor deles não se restringia apenas em relação às possíveis consequências para eles pessoalmente e aos seus familiares que estão na Alemanha, mas também em relação aos parentes que estão em seus países de origem”. — Relatório da Open Doors.

* “Eu vim para a Alemanha fugindo de meu próprio país na esperança de ter uma vida mais segura em face dos crescentes perigos. Mas na Alemanha eu fui mais ameaçado ainda”. — Refugiado cristão na Alemanha.

* “Apesar do crescente número de denúncias sobre este problema pela mídia, sociedades beneficentes, organizações de direitos humanos, líderes da igreja e organizações cristãs, as autoridades e os políticos alemães sequer realizaram uma investigação. Dito isto, acreditamos que os incidentes estão sendo deliberadamente minimizados e até acobertados. Até em delegacias de polícia ataques motivados pela religião contra refugiados cristãos não são registrados como tais”. — Relatório da Open Doors.

Leia o artigo completo.

Presente Diário: Estou vivo

ઇઉ Presente Diário: Estou vivo

 site180416
Leitura Bíblica: Efésios 2:1-10
Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados. —Efésios 2:1

Laura Brooks, 52 anos de idade e mãe de dois filhos, não sabia, mas era uma entre 14 mil pessoas em 2011 cujo nome entrou no banco de dados do governo declarando-a morta. Ela se perguntou o que havia de errado quando deixou de receber seus cheques de benefício social e seus pagamentos de empréstimos e cheques de aluguel voltaram como sendo sem fundo. Ela foi ao banco para resolver a questão, mas o funcionário lhe disse que suas contas haviam sido fechadas porque ela estava morta! Obviamente eles estavam equivocados.

O apóstolo Paulo não estava equivocado quando disse que os cristãos de Éfeso estavam, de certa forma, mortos — mortos espiritualmente. Estavam mortos no sentido de estar separados de Deus, escravizados pelo pecado (Efésios 2:5), e condenados sob a ira de Deus. Que estado de desesperança!

No entanto Deus, em Sua bondade, tomou uma atitude para reverter esta condição para eles e para nós. O Deus vivo “…que vivifica os mortos…” (Romanos 4:17) derramou Sua rica misericórdia e Seu grande amor enviando Seu Filho Jesus a esta terra. Por meio da morte e da ressurreição de Cristo, fomos vivificados (Efésios 2:4-5).

Quando cremos na morte e na ressurreição de Jesus Cristo, passamos da morte para a vida. Agora vivemos para regozijarmo-nos em Sua bondade!

Aceitar a morte de Jesus me concede vida.

Bíblia: É necessário conhecê-la

tumblr_mm9dm3Lb191qf0241o1_500

Nós todos temos uma Bíblia. E é impossível viver a vida cristã sem a palavra de Deus. Podes escutar um monte de pregações e ter comunhão com os crentes todos os dias. Mas se você não lê a Bíblia, você não vai crescer. Não vai crescer se não estuda a Bíblia, nunca vai ser um cristão maduro.

Agora, te pergunto: Quanto tempo cada dia, você se dedica ao estudo das escrituras? Nunca vai crescer somente assistindo pregações ou indo a congressos, seminários, conferências ou aos cultos a cada domingo. Não vai crescer porque tem companheirismo com a igreja. Você não vai crescer simplesmente porque toca um instrumento ou canta louvores ao Senhor. Você vai crescer somente de acordo com o tempo que você passa na palavra de Deus.

A maioria das pessoas que se dizem cristãos não passam muito tempo na palavra. Escutam música cristã todo dia, o dia todo. Tem camisas cristãs com versículos atrás. Mas não dedicam nem meia hora na palavra de Deus. A Bíblia nos ensina claramente que é impossível, IMPOSSíVEL!

Crescer espiritualmente sem o conhecimento sobre a Palavra. Você canta que Jesus é Senhor, mas um Senhor tem autoridade, ele tem lei. Se você não sabe o que ele diz em sua lei, você não pode segui-lo e ele não pode ser seu senhor. Você diz que ama a Cristo com todo o seu coração, mas ama a Cristo com a sua mente? Com seus pensamentos? Pois eu digo que se você não ama a Deus com sua mente, é impossível que você o ame de todo seu coração. As pessoas dizem que odeiam a hipocrisia, odeiam a falsidade e odeiam o mal, mas você não se dedica a esse livro. Não estuda este livro. Não vai a este livro para encontrar as respostas às perguntas que você tem…

Hipocrisia? Você não pode viver uma vida cristã sem este livro. Então, quanto tempo você está estudando este livro diariamente?

~ Paul Washer

tumblr_mwbckna4bB1sb233fo1_500.gif

Já leu sua bíblia hoje???

Uma vida com propósitos: Dia 33

Dia 33 – COMO SERVOS VERDADEIROS AGEM?

✍ Quem quiser ser o maior deve se tornar servo. Marcos 10.43; Msg

✍ Vocês podem dizer o que eles são pelo que eles fazem. Mateus 7.16; CEV

servir_aos_outros

Servimos a Deus ao servir os outros

O mundo define grandeza em termos de poder, posses, prestígio e posição. Se puder exigir que as outras pessoas o sirvam, você conseguiu chegar lá. Em nossa cultura egoísta, com sua mentalidade do eu primeiro, agir como servo não é uma noção apreciada. Jesus, entretanto, mediu a grandeza em termos de serviço, e não de posição social. Deus avalia nossa grandeza pela quantidade de pessoas que servimos, não pela quantidade de pessoas que nos servem. Isso é tão oposto à idéia de grandeza do mundo que é difícil compreender, quanto mais praticar. Os discípulos debateram sobre quem merecia a posição de maior destaque, e, dois mil anos depois, líderes cristãos ainda fazem manobras em busca de posição e proeminência nas igrejas, denominações e organizações pareclesiásticas. Milhares de livros têm sido escritos sobre a atividade do líder, mas poucos sobre a atividade do servo. Todos querem liderar, mas ninguém quer ser servo. Preferimos ser generais a ser soldados rasos. Até mesmo os cristãos querem ser líderes-servos, e não apenas simples servos. Mas ser como Jesus é ser servo. Foi assim que ele chamou a si mesmo. Embora conhecer a FORMA seja importante para servir a Deus, ter o coração de servo é ainda mais importante. Lembre-se: Deus o formou para servir, e não para ser egoísta. Sem o coração de servo, você será tentado a empregar mal sua FORMA, usando-a para vantagens pessoais. Você será também tentado a usá-la como desculpa, para se eximir de satisfazer algumas necessidades.
Continuar lendo

Uma vida com propósitos: Dia 12

Dia 12 – DESENVOLVENDO AMIZADE COM DEUS

✍  “Ele oferece a sua amizade ao justo”. (Provérbios 3.32; NTL).

✍ “Aproximem-se de Deus, e Ele se aproximará de vocês!” (Tiago 4.8; NTL).

AMIGO-DE-DEUS

Você está tão perto de Deus quanto escolhe estar.
A exemplo do que ocorre com qualquer amizade, você deve se esforçar para desenvolver o relacionamento com Deus. Isso não acontecerá por acidente. É necessário desejar essa amizade e disponibilizar-lhe tempo e energia. Se deseja um vínculo mais profundo e íntimo com Deus aprenda a compartilhar de forma honesta seus sentimentos, a ter confiança quando ele lhe pedir para fazer algo, a se importar com aquilo que é importante para ele e a desejar sua amizade mais que qualquer outra coisa.
  • Deve optar por ser sincero com Deus. O primeiro elemento fundamental de uma amizade mais profunda com Deus é ser absolutamente sincero a respeito das próprias falhas e sentimentos. O Criador não espera que você seja perfeito, mas insiste em que você seja absolutamente sincero. Nenhum dos amigos de Deus que aparecem na Bíblia era perfeito. Se a perfeição fosse um requisito para a amizade com o Senhor, jamais poderíamos ser amigos dele.
    A verdadeira amizade é edificada sobre transparência. Para ser amigo de Deus, você deve ser sincero com ele e dividir seus verdadeiros sentimentos, e não o que você pensa que deve sentir ou dizer. É provável que você precise confessar alguma raiva ou ressentimento oculto em relação a Deus em certas áreas de sua vida, nas quais você se sentiu enganado ou decepcionado. Até que tenhamos amadurecido o suficiente para compreender que o Senhor usa todas as coisas para o nosso bem, abrigamos ressentimentos em relação a ele por causa de nossa aparência, formação, orações não respondidas, mágoas do passado e outras coisas que mudaríamos se fôssemos Deus.
    As pessoas frequentemente o culpam por mágoas causadas por outras pessoas. Isso resulta no que William Backus chama “seu rompimento oculto com Deus”. A amargura é a maior de todas as barreiras para a amizade com Deus: ” Porque eu iria querer ser amigo de Deus, se ele permitiu isto? ” O antídoto, é claro, é perceber que o Senhor sempre age em nosso benefício, mesmo quando sofremos e não conseguimos entender o que está acontecendo. Livrar-se dos ressentimentos e revelar o que sentimos, porém, são os primeiros passos para a cura. Para nos instruir em uma honestidade sincera, Deus nos deu o livro de Salmos, um manual de adoração, repleto de linguagem impetuosa, fúria, dúvidas, medos, ressentimentos e sofrimentos intensos, combinados com ações de graças, louvores e declarações de fé. Todas as emoções possíveis estão catalogadas em Salmos. Quando você lê as confissões emocionadas de Davi: “ Derramei a minha queixa perante a sua face; expus-lhe a minha angústia.” Salmos 142:2
  • Deve optar por obedecer a Deus pela fé. Todas as vezes que você confia na sabedoria de Deus e faz tudo que ele diz, mesmo sem compreender, sua amizade com ele se aprofunda. Normalmente, não consideramos a obediência uma característica da amizade. Ela parece mais adequada ao relacionamento com os pais, com o chefe ou com algum superior imediato, mas nunca com um amigo. Jesus, no entanto, deixou claro que a obediência é uma condição para se obter intimidade com Deus. Ele disse: “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” {João15:14}. Somos amigos de Deus mas não somos seus iguais. Ele é o nosso amado Lider e o seguimos. Obedecemos a Deus não por obrigação, medo ou imposição, mas porque o amamos e confiamos que ele sabe o que é melhor para nós. Queremos seguir a Cristo por gratidão a tudo que ele fez por nós, e, quanto mais perto o seguirmos, mais intensa nossa amizade se torna. Os não cristãos em geral pensam que os cristãos obedecem por obrigação, culpa ou medo de serem punidos, mas a realidade é o oposto. Fomos perdoados e libertos, então obedecemos por amor – e nossa obediência nos traz grande alegria! Jesus disse: “Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. Se vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço.Tenho lhes dito estas palavras para que a minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa. ” {João 15:9}.
    Observe que Jesus espera de nós o mesmo comportamento que ele tem com o Pai, que é o modelo para nosso relacionamento com o Filho. Foi por amor que Jesus realizou tudo que o pai lhe pediu. A verdadeira amizade não é passiva: é atuante. Quando Jesus nos pede que amemos o próximo, ajudemos os necessitados, dividamos nossos recursos, conservemos nossa vida irrepreensível, perdoemos e levemos outras pessoas a ele, o amor estimula-nos a obedecer imediatamente. Em várias ocasiões somos desafiados a fazer “grandes coisas” para Deus. Na realidade, o Senhor fica mais satisfeito quando fazemos pequenas coisas para ele espontaneamente. Elas podem passar despercebidas para outras pessoas, mas ele as observa e as considera atos de adoração. Grandes oportunidades podem acontecer uma única vez durante toda a vida, mas pequenas oportunidades nos cercam uma única vez durante toda a vida, mas pequenas oportunidades nos cercam todos os dias. Mesmo por um simples ato, como dizer a verdade, ser gentil ou animar alguém, trazemos um sorriso à face do Senhor. Deus guarda simples atos de obediência como se fossem um tesouro.  A Bíblia diz:  “Porém Samuel disse: Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.” {1 Samuel 15:22}
  • Deve optar por valorizar o que Deus valoriza. É isso que os amigos fazem: eles se importam com o que é importante para a outra pessoa. Assim, quanto mais você se torna amigo de Deus, mais se importará com o que é importante para ele, mais sofrerá com o que lhe causa sofrimento e mais se alegrará com o que lhe dá prazer. Paulo escreveu em sua segunda carta aos Coríntios: “Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo” 2 Coríntios 11:2. Davi escreveu: “Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim.” {Salmos 69:9}  O que importa mais para Deus? A redenção de seu povo. Ele quer que todos os seus filhos perdidos sejam encontrados! Esse é o único motivo pelo qual Jesus veio a este mundo. A segunda coisa mais preciosa é quando seus filhos comunicam essa boa-nova às outras pessoas ao seu redor, pois Deus se importa com elas. Os amigos de Deus falam dele aos seus amigos.
  • Devo desejar ser amigo de Deus, mais que qualquer outra coisa. Os salmos estão cheios de exemplos desse desejo. Davi desejou muito conhecer a Deus, expressando-se com palavras como “anelo”, “anseio”, “sede”, “fome”. Ele ansiava pelo Senhor e declarou: ”  Uma coisa pedi ao Senhor, é o que procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo. ” {salmos 27:4} . Em outro salmo , ele diz: ” O teu amor é melhor do que a vida! Por isso os meus lábios te exaltarão. ” Salmos 63:3 .
A verdade é: você está tão perto de Deus  quanto escolhe estar. A amizade íntima com Deus é fruto de uma escolha, não de uma eventualidade, e você deve buscá-la intencionalmente. Você realmente a deseja mais que qualquer coisa? Qual a importância disso para você? Vale a pena desistir de outras coisas por causa dela? Valeria o esforço de desenvolver certos hábitos e habilidades?
Talvez você tenha perdido o primeiro amor por Jesus. Esse foi o problema dos cristãos de Éfeso; haviam perdido o primeiro amor. Faziam todas as coisas corretamente, mas por obrigação, e não por amor. Se você estiver passando por algum sofrimento espiritual, não se surpreenda quando Deus permitir sofrimento em sua vida. O sofrimento é o combustível da paixão: ele gera energia com tal intensidade que transforma o que normalmente não possuímos. Assim disse C.S. Lewis: ” O sofrimento é o megafone de Deus“.  É a forma de Deus nos sacudir da letargia espiritual. Há porém um meio mais fácil de reacender este amor o amor por Deus: comece a pedir que ele lhe dê esse amor e continue pedindo até que recebas. Repita esta oração ao longo do dia: “Amado Jesus, mais do que qualquer outra coisa, quero conhecer-te intimamente”.

AMIGO-DE-DEUS-para-blogger3-Cópia

DÉCIMO SEGUNDO DIA
PENSANDO SOBRE MEU PROPÓSITO  DE VIDA

UM TEMA PARA REFLEXÃOEstou tão perto de Deus quanto escolho estar.

UM VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: O Senhor é amigo chegado de quem o respeita e o obedece” {Salmos 25:14a,BV} 

UMA PERGUNTA PARA MEDITAR: Que escolhas práticas farei hoje para me aproximar de Deus?

Presente Diário: MANTER A UNIDADE

ઇઉ Presente Diário: MANTER A UNIDADE

✏ Leitura Bíblica (Efésios 4:1-6)
Captura de tela 2016-02-08 18.10.04.png

Um homem perdido sozinho numa ilha finalmente foi resgatado. Seus resgatadores perguntaram-lhe sobre as três cabanas que viram ali. Ele as mostrou e disse: “Esta aqui é minha casa e aquela é minha igreja.” Ele então apontou para a terceira cabana: “Aquela outra era minha antiga igreja.” Ainda que possamos rir da simplicidade desta história, ela realça uma preocupação com a unidade entre os cristãos.

A igreja de Éfeso durante a época do apóstolo Paulo consistia de ricos e pobres, judeus e gentios, homens e mulheres, senhores e escravos. E onde existem diferenças, existem também os atritos. Uma preocupação sobre a qual Paulo escreveu era a questão da unidade. Mas observe o que Paulo disse sobre isso no livro de Efésios 4:3. Ele não lhes disse para serem “ávidos em produzir ou organizar a unidade.” Ele lhes disse que se esforçassem “…por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”. A unidade já existe porque os cristãos compartilham de um corpo, um Espírito, uma esperança, um Senhor, uma fé, um batismo e um Deus e Pai de todos (vv.4-6).

De que maneira “mantemos a unidade”? Expressando as nossas opiniões e convicções diferentes com humildade, gentileza e paciência (v.2). O Espírito nos dará o poder para reagirmos com amor em relação àqueles de quem discordamos.

Continuar lendo

Captura de tela 2015-12-14 20.29.15

Sonho sobre perseguição no Brasil

Recebemos hoje, de um servo do Senhor, um sonho que ele teve.

O sonho foi assim:

{Eu estava perto da fronteira do Brasil com outro país, mas não tenho certeza quanto ao país que era. E nessa fronteira havia uma nação diferente que queria entrar no país (Brasil) e o governo havia liberado a entrada de imigrantes no Brasil, mas de forma controlada e então uma grande parte das pessoas ficava na fronteira aguardando para entrar no país enquanto outras entravam aos poucos e de forma controlada. Os exércitos das duas nações estavam fazendo o controle da entrada dessas pessoas no Brasil, mas era visto que o armamento do Brasil era mais potente e sofisticado e era como eles estivessem esperando que a qualquer hora ocorresse uma guerra. Foi nesse ponto que eu me encontrava na fronteira entre o Brasil e esse país, foi quando começou uma pequena rebelião com um grupo armado com facas, e o objetivo deles eram entrar no Brasil e lutar contra os cristãos e quando aquele grupo percebia a minha presença ali e percebia que eu era cristão eles começaram a atirar facas em minha direção e a tentar entrar forçadamente no Brasil. E neste exato momento o soldado que era da outra nação achou que seria uma manobra que o Brasil estava usando para prejudicar a nação dele e começou a atirar em direção ao soldado brasileiro, que na mesma hora começou a revidar aos tiros, atirando de volta; nesse ponto eu estava entre os dois soldados e algumas balas me atingiam dos dois lados e eu temia de morrer ali mesmo naquele local. Mas a voz de Deus bradava do alto dizendo “você não morrerá, mas será a minha testemunha”. Ao observar a cena então eu via que aquele grupo perfurava o bloqueio de segurança e conseguia entrar na nossa nação (Brasil) e se juntava com outros grupos que estavam disfarçados levantando informações sobre os cristãos dentro da nossa nação, e ali eles recebiam armamentos para combater os brasileiros, e era visto que eles estavam muito furiosos e não iriam parar por nada; eles matavam muitas pessoas, mas o principal alvo deles eram os cristãos. Então poucos minutos depois daquele grupo ter rompido a barreira de proteção e dos dois soldados ter aberto fogo um contra o outro, todos os noticiários do Brasil noticiavam a seguinte manchete: “O Brasil está em guerra” e eu corria e ia avisar as pessoas (principalmente os cristãos) que não repassassem as informações por telefone ou outro meio de comunicação qualquer porque eles seriam “caçados” por esse povo que entrou na nossa nação, mas eles me ignoravam por completo e eu ainda contava que eu havia estado na fronteira e mostrava as cicatrizes que estavam por todo o meu corpo por causa de estar no meio do fogo cruzado, mas as pessoas olhavam e desprezavam aquele alerta.}

Ao acordar pela manhã esse servo orou pedindo a direção de Deus, e abriu a bíblia e saiu no texto de Habacuque 2:1-3, que diz:

“Sobre a minha guarda estarei, e sobre a fortaleza me apresentarei e vigiarei, para ver o que falará a mim, e o que eu responderei quando eu for argüido. Então o Senhor me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna-a bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo. Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará.”

Diante desse sonho enviado a nos e deste texto bíblico, recordamos que nessa semana muitos irmãos oraram e jejuaram em favor da nação brasileira, para que houvesse arrependimento e novo despertar da igreja para se purificar, voltando-se para a obediência ao Evangelho.  Então decidimos postar, pois cremos que veio da parte do Senhor Deus como aviso sobre  o sonho para que esse sinal de Deus chegue aos seus filhos nessa nação, e que possam estar discernindo todas as coisas com o auxilio do Espírito Santo. Estejamos todos vigilantes e em oração; compartilhe com seus irmãos em Cristo. Shalom!

Condenação a cristãos explodiu em 10.000% na China

130318communismchinaCondenação dos cristãos da China explodiu mais de 10.000 por cento 2013-2014, de acordo com um novo relatório da Associação de Ajuda à China, uma organização que expõe a liberdade religiosa e os abusos dos direitos humanos.

O relatório anual do grupo observa que ele controla seis categorias de perseguição religiosa, e uma vez que obtém as informações diretamente de cristãos dentro da China, a maior parte de suas informações diz respeito ao movimento de igrejas cristãs.

O “Ano da ‘Perseguição e Resistência” relatório disse que a perseguição aumentou, por vezes de forma dramática, em todas as seis categorias estudadas.

Por exemplo, o número de cidadãos condenados por suas crenças aumentou de 12 em 2013 para 1.274 em 2014, um aumento de 10,516.67 por cento.

A organização coletadas informações sobre 572 casos de perseguição religiosa, um aumento de 300 por cento.

“Das 17.884 pessoas que foram perseguidas por sua religião, mais de 1.592 foram os líderes da igreja, o que representa um aumento de 140,89 por cento Continuar lendo