França antisemita convoca 70 países para “Conferência de Paz no Oriente Médio”

A França comunicou através do seu ministro para os Negócios Estrangeiros estar a convocar 70 países para a realização de uma “Conferência para a paz no Médio Oriente” em Paris, para o próximo dia 15 de Janeiro.
Segundo as informações partilhadas, os líderes israelitas e palestinianos serão convidados a se encontrarem separadamente no final desta conferência.
A França tem constantemente andado durante este ano a tentar soprar ar fresco para este processo de paz, conduzindo até uma conferência preliminar no passado mês de Junho em que representantes das Nações Unidas, da União Europeia, dos Estados Unidos e de alguns países árabes se reuniram para discutir propostas, contudo sem a presença de Israel e dos palestinianos.lieberman-hoje

REAÇÃO ISRAELITA

O ministro israelita da Defesa, Avigdor Lieberman, criticou duramente esta conferência de Paris, que considera ser não uma “conferência para a paz”, mas antes “um tribunal contra Israel.”
Comparando o evento com o julgamento anti-semita do oficial judeu Alfred Dreyfus em 1894, em Paris, Lieberman condenou o timing do evento promovido por Paris para 5 dias antes da tomada de posse do presidente Donald Trump e 3 meses antes das eleições em França.
“Não é uma conferência para a paz, mas um tribunal contra Israel com a intenção de prejudicar Israel e o seu bom nome” – criticou Lieberman, acrescentando: “Não será apenas um julgamento contra Israel, mas um moderno julgamento Dreyfus. Veja-se como a França tem andado a votar contra nós. Sabemos qual o sentido e intenção da conferência. É mais um acréscimo ao sentimento anti-judaico actualmente vivido na França.”
E, aproveitando para lembrar alguns dos recentes incidentes anti-semitas ocorridos na França, o ministro incitou mais uma vez os judeus franceses a partirem para Israel: “É tempo de partir.”

Fonte: Shalom Israel

Isis prometeu em julho levar carnificina para as ruas de Paris

Julho 2015: ISIS PROMETEU ‘LEVAR CARNIFICINA PARA A FRANÇA, ENCHER AS RUAS DE PARIS COM CADÁVERES’

Kristinn Taylor 13 de novembro 2015

Os múltiplos ataques terroristas vertentes em Paris nessa sexta-feira à noite, que supostamente mataram mais de 160 parisienses, em explosões e tiroteios separados, parecem ser o cumprimento de uma ameaça pelo ISIS emitida em julho, para ‘trazer abate para a França’ e ‘encher as ruas de Paris com cadáveres’.
A ameaça a Paris foi feita em um vídeo que contou com um terrorista mascarado francês fazendo um discurso antes dele executar um soldado sírio. O vídeo aparentemente recebeu pouca atenção da mídia na época.

“Este é o momento chocante em que um terrorista francês do ISIS prometeu ‘encher as ruas de Paris com cadáveres’ antes dele disparar num soldado sírio na nuca e empurrá-lo de um penhasco.
Em uma mensagem vil dirigida ao povo da França, o militante mascarado falou em francês perfeito antes de executar brutalmente um prisioneiro do exército sírio, atirando-lhe na cabeça.

No discurso delirante de modo selvagem para a câmera de alta definição usada para gravar o vídeo de execução, o fanático disse aos ouvintes que o ISIS “ama a morte assim como vocês amam a vida”, e encorajou apoiadores do grupo a continuarem a traçar e realizar novos ataques terroristas no país europeu.

… “O video de revirar o estômago de hoje foi filmado em uma área do ISIS na província de Hama, na Síria, e foi publicado online pelo escritório de propaganda local do grupo terrorista.

De pé no topo de um penhasco remoto, um jihadista pairava sobre um oficial do exército do regime sírio ajoelhado, e alegou que ele é um dos cerca de 500 cidadãos franceses jihadistas em nome do grupo terrorista no Oriente Médio.

“Ele declarou que sua “mensagem” é destinada não só aos cidadãos franceses, mas também à comunidade internacional e a “todo mundo que luta contra Alá e seu profeta”.

“Salpicando seu diálogo com alegações sobre a força do ISIS e como o grupo terrorista está protegido por Alá, o militante incentivou uma nova onda de ataques terroristas na capital francesa.”

Alalam informou que o terrorista alegou que 500 muçulmanos de Paris se juntaram ao ISIS:

“Ele reiterou que ele e 500 parisienses se juntaram ao ISIS completamente.”

Fonte: The Daily Mail