Irã terá bomba em 2-3 meses. Obama mentiu 28 vezes

Enquanto você lê esta história em que a Casa Branca de Obama agora admite plenamente e livremente que o Irã é apenas 2-3 meses longe de conseguir uma arma nuclear, compare isso com o vídeo abaixo, onde ele prometeu 28 vezes que ele nunca iria permitir isso que já aconteceu. Sob quaisquer circunstâncias. Bem, adivinhem? Está acontecendo agora, e ele não está fazendo nada para detê-lo.

obama-knows-iran-only-needs-2-3-months-breakout-time-for-nuclear-bombEscrevendo na Bloomberg Vista na segunda-feira , o jornalista Eli Lake diz presidente norte-americano Barack Obama já sabia há anos que o Irã necessários apenas 2-3 meses para produzir combustível suficiente para uma bomba nuclear, mas propositadamente evitou dizer isso publicamente, sublinhando vez que um ano inteiro foi necessário para o Irã construir uma bomba nuclear.

O secretário de Energia Ernest Moniz reconheceu nesta segunda-feira que os EUA sabem há anos que o Irã é apenas dois a três meses formulário de ter material suficiente para uma bomba nuclear.

Uma vez que a informação foi desclassificado deste mês, Obama vem pressionando o fato de que o Irã está apenas dois a três meses longe de materiais suficientes para uma bomba nuclear, como parte Continuar lendo

Israel tem a mais sofisticada proteção do mundo

O sistema Domo de Ferro é sem dúvida alguma uma das obras mais interessantes da engenharia militar do Mundo, um sistema basicamente de defesa. Ele foi desenvolvido pela indústria militar de Israel através da empresa Rafael, uma das mais prestigiadas do Mundo no ramo. MAS O IRON DOME JÁ FALHOU, MENOS A PROTEÇÃO DE DEUS SOBRE ISRAEL, LEIA AQUI. 

O sistema que foi considerado por engenheiros como praticamente impossível de ser projetado, foi fruto de um trabalho árduo da genialidade dos engenheiros israelenses que superaram todo tipo de dificuldade para concluir o projeto.

Como Funciona o Sistema Domo de Ferro?

Quando grupos terroristas ou exércitos disparam mísseis contra o Estado de Israel, um sistema avançado de radar capta o míssel, um sistema computadorizado determina sua rota e enquanto o míssel é disparado ele faz a correção da rota ainda em ar afim de abater o míssil do inimigo.

O sistema não é barato, mas o Estado de Israel está disposto a gastar milhões na defesa de seus cidadãos.

O míssil do Domo de Ferro não é disparado em qualquer caso de disparo rumo ao território de Israel, mas ele calcula através da rota se o míssil vai atingir alguma área residencial, se assim for, ele é disparado para destruir o míssil inimigo.

O sistema foi projetado para interceptar e destruir mísseis de curto alcance de distâncias de 4 a 70 quilômetros. O Estado de Israel espera aumentar o leque de interceptações do Domo de Ferro através do aumento do alcance máximo do sistema para alvos entre 70 e 250 quilômetros e permitir que ele intercepte mísseis provenientes de duas direções simultaneamente.

O Domo de Ferro ou Cúpula de Ferro se tornou operacional em 27 de março 2011 perto da cidade de Beersheba.

Em 7 de abril de 2011, o sistema conseguiu, pela primeira vez, interceptar um míssil Grad lançado desde a Faixa de Gaza contra cidadões em Beersheba.

Em 10 de março de 2012, o jornal The Jerusalem Post publicou que o sistema abateu mais de 90% dos mísseis lançados a partir de Gaza que iriam atingir áreas populacionais.

Em 19 de novembro do mesmo ano, o repórter Mark Thompson escreveu que, a “falta de baixas israelenses sugere que o Domo de Ferro é a bateria antimísseis mais testada e mais eficaz que o mundo já conheceu.”

Fonte: Cafetorah

Após guerra no sul, Israel de olho para o norte

map_israel_leb_1O conflito durou um mês em Gaza chegou a um alto custo, tanto em termos do número de vítimas (67 mortos do lado israelense e até 1900 no lado palestino) e em termos de gastos militares reais (cerca de NIS 8.000 milhões .) Mas esse conflito, que parece estar chegando ao fim, pode parecer um passeio no parque, em comparação com a maior ameaça Israel enfrenta do Hezbollah no norte.

Mesmo quando os foguetes foram chovendo a uma taxa de cerca de 100 por dia, o IDF nunca desistiu de seu olho da fronteira norte, onde o Hezbollah apoiado pelo Irã, goza de maior liberdade de operação, mais financiamento e um arsenal muito maior.

“Estamos procurando principalmente no setor norte, onde vemos maiores desafios.Estamos nos preparando para eles o tempo todo. Nós não ficamos surpresos quando projéteis foram disparados a partir do norte, e nós continuamos a olhar para o norte, segundo o comandante do Iron Dome Maj. Shay Kognitsky disse ao Jerusalem Post . “Eu confio em meu povo para enfrentar o desafio do norte também. Este é um cenário de diferença, que é mais complexa. “

Hezbollah tem foguetes significativamente maiores em seus estoques do que os graduados e Kassams disparados pelo Hamas, disse ele, e “isso exige prontidão de nós.”

Hezbollah teria controlado um arsenal de cerca de 100 mil projéteis, incluindo foguetes de curto alcance Katusha, mas também cerca de 5.000 mísseis de longo alcance médio e que exigiria mais poder de fogo e alcance do que Iron Dome pode proporcionar.

hezbollahfighte

De acordo com o analista militar Haaretz Amos Harel, enquanto “As nove baterias Iron Dome existentes eram muito para minimizar os danos causados ​​por foguetes a partir de Gaza. Lidar com foguetes do Hezbollah exigiria mais baterias, assim como o sistema Magic Wand para interceptar mísseis de médio alcance , que ainda está em desenvolvimento, e talvez até mesmo o sistema antimísseis Seta para mísseis de longo alcance. “

A vasta rede de túneis do IDF descoberto em Gaza pegou os israelenses em grande parte pela surpresa. Embora houvesse inteligência do Hamas cavando ao longo dos anos, a escala e o alcance dos túneis (em alguns lugares até dois quilômetros dentro do território israelense) era algo que ninguém estava preparado para encontrar. Assim como os dois grupos compartilham outras táticas, Israel pode ter certeza que os escavadores são tão ocupado no norte, se não mais ainda, dado o tempo que se passou desde a última escalada e liberdade quase completa do Hezbollah a operar no sul Líbano.

Em um artigo publicado no início deste ano, a revista de notícias árabe Al Watan Al Arabi informou que os túneis construídos pelo Hezbollah no Líbano foram altamente sofisticados, e que  há qualidade-mestra, que estão a par com os túneis de metrô nas grandes cidades europeias. “

Até agora, o Hezbollah tem feito pouco mais de apoio verbal expressa para o Hamas eo povo palestino. Líder de fogo do grupo, Hassan Nasrallah, expressou sua solidariedade com o povo palestino na conferência de imprensa televisionada, no mês passado, no qual acusou Israel de “cometer crimes de guerra na tentativa de apagar o” problema palestino “. Ele também culpou o IDF de” destruir casas e mesquitas, chutando as pessoas fora de suas casas, assim como eles fizeram no Líbano. ” Mas, além disso o grupo, que está atolado na guerra civil síria, mostrou nenhuma urgência a pegar em armas em si.

Tudo o que pode mudar no entanto a qualquer momento. Tudo o que seria necessário é uma ordem de Teerã ou um incidente de fronteira para sair do controle, para o norte de Israel a entrar em erupção de uma forma que faria a mini-guerra de Gaza como uma brincadeira de criança.

“Está claro que o Hezbollah está seguindo eventos no sul e aprender as lições. Se há uma coisa que os oficiais superiores da IDF concordam, é que o Hezbollah e seus assessores iranianos são bons em estudar, analisar e tirar conclusões“, escreveu Harel.

 hezbollah-preparing-to-attack-israel

A cúpula de ferro falhou, mas DEUS não!

unnamed-446x300O sistema de defesa anti-míssil “Cúpula de Ferro” (Iron Dome) tornou-se nesta guerra o verdadeiro e mítico herói para o povo israelita, tendo conseguido detectar e destruir a quase totalidade dos mísseis inimigos disparados contra centros populacionais em Israel, incluindo as grandes metrópoles de Tel Aviv, Haifa, Berseba e até Jerusalém. Mas, apesar das elevadas taxas de sucesso, o sistema não é perfeito e teve algumas falhas. Segundo o testemunho de um dos militares operacionais do sistema “Cúpula de Ferro” na região de Tel Aviv, houve uma situação dramática em que o sistema de defesa falhou por 3 vezes seguidas no abatimento de um míssil dirigido a Tel Aviv. Eis o relato publicado pelos media deste responsável pela operação do sistema “Cúpula de Ferro”:

TORRES AZRIELI, EM TEL AVIV “Dispararam um míssil de Gaza. A “Cúpula de Ferro” calculou com precisão a sua trajectória. Nós conseguimos saber onde é que esses mísseis vão aterrar dentro de um raio de 200 metros. Este iria atingir Tel Aviv, visando as Torres Azrieli, a Kirya (equivalente ao Pentágono israelita), ou uma estação de comboios central da cidade. Poderiam ter morrido centenas de pessoas. Disparámos o primeiro interceptor. Falhou. Disparámos o segundo. Falhou. Isso é muito raro. Entrei em pânico. Nessa altura restavam-nos apenas 4 segundos até o míssil aterrar. Tínhamos já alertado os serviços de emergência para convergirem para o local visado, e tínhamos avisado da possibilidade de uma vasta tragédia. Subitamente, o sistema “Cúpula de Ferro” (que entre outras coisas também calcula a velocidade dos ventos), registou um verto forte que surgia do oriente, um vento tão forte que desviou o míssil inimigo na direção do mar. Ficamos todos embasbacados. Pus-me de pé e gritei a plenos pulmões: “Deus existe!”

E o emocionado militar prosseguiu a narrativa: “Testemunhei esse milagre com os meus próprios olhos. Não mo contaram nem me foi transmitido: eu vi a mão de Deus enviar aquele míssil para o mar!”

Também na semana passada o coronel Ofer Winter, comandante da brigada de infantaria Givati, descreveu um misterioso nevoeiro que o encobriu favoravelmente a ele e as suas tropas quando avançavam para uma posição inimiga no raiar do dia, após terem adiado a prevista intervenção nocturna. O coronel Winter descreveu esta cobertura misteriosa e providencial como “nuvens de glória.”

Foi este coronel que no início da intervenção israelita em Gaza provocou um aceso debate a nível nacional, quando encorajou as suas tropas a avançarem contra um inimigo que “blasfema, difama e provoca o Deus de Israel”. O coronel terminou a sua intervenção escrita, fazendo a seguinte oração: ‘Que o Senhor teu Deus te acompanhe, lutando contigo contra os teus inimigos e te salvando.” Deus certamente interveio (mais uma vez) a favor do Seu povo!

Fonte: Shalom Israel

Hamas usa escudos humanos e Israel não comete crimes de guerra

Os vídeos abaixo falam por si, mas faremos um breve comentário. O Hamas, através do porta-voz Sami Abu Zuhri, confessa que faz uso de escudos humanos, ou seja, estão nada preocupados com a população da Faixa de Gaza. Até porque, não é seu povo, nem sua cultura, nem seu país, nem nada. Usam de pessoas que necessitam de assistência humanitária, sendo usada como escudo para terroristas que visam somente sangue e dólares em suas contas, para manter a vida milionária que eles têm no Qatar.

Entrevistador – As pessoas estão adotando o método dos escudos humanos, que foi bem-sucedido nos tempos do mártir Nyzar Rayan…
Porta-voz – Isso comprova o caráter dos nossos nobres, dos nossos lutadores da Jihad. São pessoas que defendem seus direitos e suas casas com o seu corpo e com o seu sangue. A política de pessoas que enfrentam aviões israelenses de peito aberto, a fim de proteger as suas casas, provou ser eficaz contra a ocupação (israelense). Além disso, essa política reflete o caráter dos nossos bravos, que são pessoas corajosas. Nós, do Hamas, convocamos o nosso povo para que adote essa política, a fim de proteger as casas palestinas. (Fonte: Palestina Livre)

Neste outro vídeo o representante palestino na ONU afirma que dada as circunstancias atuais da guerra contra o Hamas, Israel não comete crimes de guerra, porque além de defender sua própria população, se preocupa com os moradores da Faixa de Gaza, avisando antes dos bombardeios, bem como dando assistência até com hospital de campanha.

Então, antes de começarem a criticar ferozmente Israel como muitos fazem, ouçam da boca dos interlocutores do outro lado (Palestino) sobre o mesmo assunto e a mesma guerra.

O conflito entre Israel e Hamas explicado de forma didática

O conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas, tal qual outros grupos, advém de longo tempo. Entretanto muitos não entendem esta história corretamente, visto que a mídia em geral, publica aquilo que lhe convém, ou a manchete que mais vende jornal. Quem chega agora, pega o bonde andando e não consegue compreender porque Israel se defende. Então veja este vídeo didático e simples, que explica porque Israel se defende dos grupos terroristas.

Mas porque então Israel, sempre se defendendo, destruindo as bases terroristas, parece que elas simplesmente proliferam? Veja o vídeo abaixo, que no final dele você verá porque tais terroristas ressurgem.

Vídeo

A defesa de Israel aos ataques terroristas

Um mapa logístico com as distâncias entre as cidades de Israel e de onde partem os ataques de Gaza.

Veja como funciona o Iron Dome, um sofisticado sistema de defesa móvel que intercepta com 90% de precisão os mísseis disparados contra cidades de Israel. Ele foi projetado para interceptar e destruir mísseis de curto alcance e bombas de artilharia disparados de uma distância de 4-70 km para o bombardeio de civis.